Ronaldo pode seguir Beckham e jogar nos Estados Unidos

Após ser comunicado pelo presidente Juan Ramón Calderón que não está mais nos planos do Real Madrid, o atacante Ronaldo pode seguir o caminho do colega David Beckham e também acertar a sua transferência para o futebol norte-americano. O brasileiro poderá defender o New York Red Bulls, segundo informou nesta sexta-feira o jornal La Opinión, de Los Angeles. De acordo com a publicação local, a contratação do jogador teria auxílio da Liga de Futebol Norte-Americana (MLS). Por um contrato de cinco anos, o maior artilheiros da história da Copas receberia US$ 119 milhões (cerca de R$ 255 milhões) para atuar no país. "Sem dúvida a chegada de Beckham é apenas a primeira de muitas figuras deste peso. Mas não é o momento de fazer comentários, há nomes. Cada equipe deverá divulgar o seu", disse Alexis Lalas, presidente do Los Angeles Galaxy, que acertou na quinta-feira a contratação de Beckham - o astro inglês vai ganhar US$ 250 milhões para cinco temporadas. O La Opinión lembra, no entanto, que Ronaldo é patrocinado pela empresa Nike e a liga local é parceira da concorrente Adidas. "Os representantes do jogador estão buscando uma forma de rescindir o contrato", revela o jornal. O atacante, que foi dispensado pelo técnico Fabio Capello, também tem uma oferta de 20 milhões de euros para atuar no Al-Ittihad, clube da Arábia Saudita, que vai contar com o português Luiz Figo (Inter de Milão) a partir de agosto. A MSL projeta há algum tempo popularizar o futebol no país. Ao contrário de outras ligas profissionais, a entidade é que contrata e paga os jogadores de cada equipe. Porém, a liga paga US$ 400 mil por temporada para cada jogador. O restante dos salários que passam dessas cifras são custeados pelos times. Essa não é a primeira vez que os Estados Unidos tenta aumentar o interesse do público no esporte. Em uma delas, o craque Pelé atuou ao lado do alemão Franz Beckenbauer no Cosmos, de Nova York, na década de 80.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.