Ronaldo presta depoimento no caso do travesti

Atacante deixa Fórum sem dar entrevista, mas delegado confirma tentativa de extorsão contra o atleta

Bruno Lousada, Agencia Estado

26 de setembro de 2008 | 20h23

Depois de não comparecer em duas audiências anteriores, o atacante Ronaldo finalmente prestou depoimento nesta sexta-feira no Fórum do Rio. Ele é testemunha no processo em que o travesti Andréia Albertini é acusado pelo Ministério Público Estadual de tentar extorquir dinheiro do próprio Ronaldo. O incidente ocorreu em abril, num motel da Barra da Tijuca, também no Rio.Ronaldo entrou e saiu do prédio do Tribunal de Justiça por um acesso restrito, sem dar entrevistas. Ele ficou no plenário por cerca de uma hora e meia e foi embora sem sequer ser fotografado. Atualmente sem clube, o atacante faz tratamento no Flamengo para poder voltar ao futebol depois da longa recuperação da cirurgia no joelho.Depois de Ronaldo, o delegado Carlos Augusto Pinto, titular da 16.ª DP (Barra da Tijuca), prestou depoimento por 15 minutos. Ele disse para a juíza Marta de Oliveira Cianni Marins, da 23ª Vara Criminal da Capital, que não há dúvidas de que o travesti Andréia Albertini tentou extorquir o atacante, pedindo dinheiro para não tornar público o encontro dos dois no motel.O advogado do travesti Andréia Albertini, Eduardo Swiech, afirmou que Ronaldo sofreu amnésia durante seu depoimento nesta sexta-feira. "Não lembrou que horas entrou e saiu do motel e nem soube dizer o que fez na suíte", contou o advogado.Ainda nesta sexta-feira, mais quatro testemunhas prestaram depoimento sobre o caso: o taxista Jorge Batista, o policial civil Roberto Gregório e as funcionárias do Motel Papilon, local do encontro do travesti com Ronaldo, Irene do Nascimento e Raimundo Maria da Penha.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRonaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.