Ronaldo promete show do Brasil no Pará

Já faz mais de um ano que não marca sequer um gol pela seleção brasileira. Mas mesmo assim Ronaldo continua ?Fenômeno?. Por onde passa, arrasta crianças, adolescentes e adultos com máquinas fotográficas, canetas, papel, camisetas. A presença de outros craques consagrados na equipe, como Ronaldinho Gaúcho, não diminui a intensa romaria de jornalistas toda vez que Ronaldo surge em algum lugar público, a serviço ou não da seleção. Ainda em Teresópolis, no final dos treinamentos da semana, ele recebeu a Agência Estado com exclusividade para falar, entre outras coisas, de sua irritação com a polêmica em torno das coreografias nas comemorações de gols. Ronaldo não pôde conversar por muito tempo. Logo, um grupo de fãs conseguiu cercá-lo. Eram crianças atrás de autógrafos. Com paciência, iam sendo atendidas até que uma nova leva de meninos e meninas chegou. Ronaldo se desculpou e subiu para os alojamentos, não podia atrasar o horário do jantar. Ainda assim, teve tempo para se defender das insinuações de que desrespeita os adversários com suas brincadeiras. ?Não faço nada premeditado.? Ele também analisou o período difícil de Vanderlei Luxemburgo no Real Madrid, que parece estar superado, e, mais importante, prometeu um show do Brasil na última partida da seleção nas Eliminatórias, quarta-feira, contra a Venezuela, em Belém. Agência Estado ? Como você lida com a repercussão de seus gestos e atitudes? Ronaldo ? Já estou acostumado. Às vezes, fico chateado por causa da exploração maldosa que algumas pessoas fazem de uma ou outra brincadeira minha. As coreografias para comemorar gols que eu fiz não eram ofensivas. Quando o Brasil venceu o Chile (5 a 0, em setembro), Robinho, Júlio Baptista e eu dançamos em campo e ninguém falou nada. AE ? Você imaginava antes que uma simples brincadeira possa criar tanta polêmica? Ronaldo ? Não faço nada premeditado. Não tem nada programado. Não queria falar mais desse assunto (a crítica a suas coreografias). Quem começou isso foi um irresponsável, o presidente do Alavés (Dimitry Piterman, que chamou Ronaldo, Robinho e Roberto Carlos de palhaços por causa da imitação de baratinhas no jogo em que o Real venceu por 3 a 0 o Alavés). AE ? Diante de tanta confusão, baratinhas e coelhinhos nunca mais? Ronaldo ? Não sei (ele ri na resposta). AE ? O Real Madrid sofreu três derrotas seguidas há algumas semanas. Vanderlei Luxemburgo ficou sob ameaça de perder o emprego? Ronaldo ? Não senti clima para isso. Todo mundo sabe que o trabalho dele está no início. A pré-temporada tinha acabado de começar. É natural que passasse por uma fase de ajustes. Essa história foi mais um movimento de fora para dentro. AE ? A imprensa da Espanha foi severa? Ronaldo ? Sempre há especulações. Futebol envolve paixão no mundo todo. Mas nada partiu de dentro do clube. O Vanderlei estava tranqüilo. Sabia que as coisas iam se encaixar. Ano passado, ele chegou ao clube no meio da temporada e ainda assim conseguiu mais pontos no Campeonato Espanhol que o Barcelona (o campeão). AE ? Logo em seguida, Luxemburgo obteve quatro vitórias. Ronaldo ? Pois é. É o encaminhamento do que se esperava. Aos poucos, os jogadores e diretoria do Real Madrid vêm assimilando os métodos de trabalho dele. Já houve um período maior de adaptação. Até mesmo no idioma ele tem apresentado progressos. O portunhol dele está cada vez melhor. AE ? A meta de 35 gols na temporada está mantida? Ronaldo ? Nada mudou. Já fiz cinco gols em seis jogos pelo campeonato e tenho me sentido bem. Mais importante que os gols, eu tenho dito, é que o Real Madrid volte a conquistar os títulos. AE ? O Barcelona vai ser o principal obstáculo do Real? Ronaldo ? Pela tradição, sim. Mas o Espanhol tem outras equipes fortes, que podem surpreender. O Valencia, por exemplo, não pode ser desprezado. AE ? Gostou do dia de folga no fim de semana? Ronaldo ? Estou seco para quebrar o jejum (de mais de um ano) de gols na seleção. Claro que preferia ter viajado para La Paz. Mas sempre é bom ter a oportunidade de ficar com a família, passar um domingo em casa. AE ? O que a torcida pode esperar do jogo de quarta-feira contra a Venezuela? Ronaldo ? Um espetáculo. Vamos nos despedir das Eliminatórias com uma bela festa e, espero, com muitos gols. Sem nenhum desrespeito a Venezuela. A gente conta com o apoio dos paraenses. Quem for ao estádio, não vai voltar para casa arrependido.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2005 | 09h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.