Ronaldo quer jogar no Flamengo antes de voltar ao Milan

O atacante Ronaldo pode usar umatemporada no Flamengo para melhorar seu condicionamento antesde voltar a jogar pelo Milan. O atacante, maior goleador da história das Copas, trêsvezes escolhido pela Fifa como o melhor do mundo, já vinhasendo cogitado no rubro-negro carioca, seu time do coração,antes de sofrer uma grave lesão de joelho, em fevereiro. "Tenho uma bonita relação com o meu time (o Milan), asportas estarão sempre abertas para mim ali, mas tenho de estarpreparado (para o afastamento)", disse Ronaldo em entrevistapublicada na terça-feira pelo jornal La Gazzetta dello Sport. "A idéia é jogar no Brasil por alguns meses, talvez noFlamengo, e se tudo for bem reaparecer de vermelho e preto(cores também do Milan)", disse Ronaldo. O Milan promete apoio à recuperação de Ronaldo, que develevar pelo menos mais sete meses. Mas o time italiano ainda nãoanunciou uma renovação do contrato dele, que expira em meadosdo ano. Ronaldo diz sentir um "enorme desejo" de voltar aosgramados e afirma não conceber sua vida sem futebol. "Ainda háum longo caminho. Talvez leve quatro meses até que eu comece acorrer, mas a recuperação será mais rápida do que da últimavez", acrescentou. Ronaldo sofreu uma lesão similar no joelho direito em 2000,quando jogava pela Inter de Milão. O atacante, de 31 anos, também rejeitou as especulações deque substâncias que tomou na época em que jogava pelo PSVEindhoven, da Holanda (1994-96), teriam contribuído para aslesões posteriores. "Muitos falam em esteróides anabolizantes que teriam medado para eu crescer. Não é nada disso", afirmou. Ele também saiu em defesa do meio-xará Cristiano Ronaldo,do Manchester United, que foi criticado por David Pizarro, daRoma, por supostamente usar seu talento para zombar do timeitaliano, durante o jogo de ida das quartas-de-final da Ligados Campeões. O brasileiro disse que as jogadas do português não foramdesrespeitosas com os adversários e visavam ao gol. "Além domais, sou a favor do futebol alegre", disse Ronaldo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.