Nelson Antoine/AP
Nelson Antoine/AP

Ronaldo reprova postura da CBF em demissão de Mano

Ex-jogador critica a maneira como a situação foi conduzida

VALÉRIA ZUKERAN E FELIPE MENDES, Agência Estado

24 de novembro de 2012 | 13h53

SÃO PAULO - Em sua passagem por Interlagos para acompanhar os treinos do GP do Brasil de Fórmula 1 e apoiar Bruno Senna, da Williams, Ronaldo deu sua opinião neste sábado sobre a demissão do técnico Mano Menezes da seleção brasileira e foi categórico ao mostrar sua preocupação com a forma como a situação foi conduzida. Ele aprova o nome do espanhol Pepe Guardiola para substituto, mas lembra que o País tem bons treinadores capazes de assumir o grupo no ano que vem.

"A gente tem de olhar sempre para frente. Eu não faria dessa maneira mas também não estou lá. Não sei exatamente como está a situação lá dentro. A gente tem de pegar essa situação, aprender. Falta muito pouco tempo para a Copa e a gente tem de encontrar um rumo", analisa Ronaldo, que ganhou um capacete de Bruno Senna de presente.

Ronaldo vê com bons olhos uma possível contratação de Pep Guardiola, mas faz ressalvas. "É o melhor treinador que tem hoje. Mudou a maneira de jogar do Barcelona e fez muito bem. Acho que seria um grande nome. Tem de ver se a seleção aprovaria um treinador estrangeiro. Ele é um grande nome, mas acho que temos grandes nomes no Brasil", pondera.

O jogador prefere não opinar sobre um possível substituto de Mano vindo do futebol brasileiro, mas fala do que acha fundamental para o profissional que vai assumir o cargo com a responsabilidade de comandar a seleção na Copa das Confederações no ano que vem e na Copa do Mundo de 2014, ambas no Brasil. "Tem de ser um treinador que passe tranquilidade para o torcedor."

O meia Lucas, do São Paulo, também circulava pelos boxes da Fórmula 1 neste sábado e, como Ronaldo, lamentou a demissão de Mano. "Me pegou de surpresa. A gente sabe que é coisa do futebol. Mas torço que o Mano tenha sucesso na sua carreira e que o novo técnico faça a seleção vencer", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.