Ronaldo sai novamente, mas tem participação mais efetiva

O atacante Ronaldo foi bem mais efetivo na vitória deste domingo da seleção brasileira por 2 a 0 sobre a Austrália, em Munique, do que na estréia, quando a equipe bateu a Croácia por 1 a 0. Ele permaneceu mais tempo em campo, movimentou-se mais e teve participação decisiva no primeiro gol, marcado por Adriano.Aos 3 minutos do segundo tempo, Ronaldo recebeu passe em profundidade de Kaká, caiu pela direita e tocou a bola para Adriano, que superou a marcação e abriu o placar para o Brasil. Em outros quatro lançamentos, no entanto, ele estava impedido, sendo três vezes na etapa final. Na outra ocasião, ainda na etapa inicial, recebeu cartão amarelo por chutar a bola para o gol depois que o jogo já havia sido paralisado.Além do gol, Ronaldo colaborou com mais um passe preciso para Kaká, aos 3 minutos da primeira etapa - o meia chutou por cima do gol. Ronaldo chutou mais duas vezes, ambas no primeiro tempo: aos 27 e aos 41 minutos. E sofreu apenas uma falta, dura, num pontapé do volante Grella. O pior momento do jogo para Ronaldo foi aos 37 minutos pelo primeiro tempo, quando recebeu um lançamento pelo alto de Kaká e furou, perdendo boa chance de gol. Ao ser substituído por Robinho, aos 26 minutos da segunda etapa - três minutos mais tarde do que aconteceu contra a Croácia -, Ronaldo chegou ao banco sob aplausos dos jogadores e da comissão técnica. Antes, já tinha ouvido a torcida gritar seu nome três vezes durante o jogo deste domingo em Munique.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.