Ronaldo terá cobranças, e não privilégios, diz técnico

Mano Menezes acredita ser isso o que ele precisa e que não tem prazo para escalá-lo no Corinthians

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

27 de dezembro de 2008 | 12h06

Ronaldo será cobrado como qualquer outro no Corinthians. Para ter sucesso, todos precisarão se sacrificar, com muita calma. É assim que o técnico Mano Menezes resume a conversa que teve com o atacante, no primeiro contato após a contratação. "Os grandes jogadores e grandes profissionais não querem privilégios, e sim cobranças, que eleva o nível do momento que eles estão atravessando. Isso vale para o Ronaldo e para os outros", disse, na entrevista coletiva neste sábado no Parque São Jorge. Veja também: Ouça: Mano fala pela primeira vez sobre a contratação de RonaldoRonaldo admite estar pelo menos cinco quilos acima do pesoMano se inspira em Phil Jackson para lidar com Ronaldo'Queremos uma vaga na Libertadores', diz Mano MenezesSem Ronaldo, Corinthians faz treino leve no Parque São Jorge TV Estadão: as caretas do primeiro treinoConfira as novidades do mercado do futebol Paulistão 2009 - Tabela TV Estadão: Diretor de Futebol do Corinthians explica caso Herrera Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão  "Nós tivemos uma conversa exatamente em termos de filosofia e linha de trabalho. Nós já tínhamos antes uma idéia da expectativa do Ronaldo. Se não fosse esta idéia dele de jogar em alto nível, pensar em até lá na frente jogar uma Copa do Mundo, o Corinthians não ia apostar nele e nem o Ronaldo iria se expor dessa maneira", diz Mano Menezes, apontando o sonho do Fenômeno em voltar à seleção brasileira como um dos pontos de motivação. Sobre a recuperação física, o técnico corintiano explicou a filosofia de trabalho com o atacante. "Cabe a nós e ao Ronaldo, cada um fazer sua parte, precisamos de sacrifício, trabalho, dedicação de ambas as partes. É preciso de tranqüilidade e calma também. Precisamos também controlar a ansiedade. Sabemos que a lesão que ele teve pode trazer consigo neste retorno algumas lesões musculares. Cabe agora trabalhar corretamente para tentar evitá-las". PRAZO INDEFINIDOSó o prazo para que Ronaldo entre campo não está definido. "Vai ser necessário um tempo para que ele possa jogar. Não temos estimativa exata. Temos que cuidar para não avançar o sinal, afinal o jogador quer jogar, não gosta de ficar fazendo fisioterapia. O habitat do jogador é o campo. Mas temos que tomar cuidado para que ele possa fazer isso com segurança. Talvez daqui a alguns dias poderemos ter alguma estimativa de quando ele vai jogar".O técnico Mano Menezes não esteve no gramado do Parque São Jorge na manhã deste sábado para comandar o treino dos jogadores. Antes de conceder entrevista coletiva, que começou por volta das 11 horas, ele foi ao CT de Itaquera observar o estado do gramado.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansRonaldoMano Menezes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.