J. B. Neto/Estadão
J. B. Neto/Estadão

Ronaldo vai morar em Londres para virar estagiário

Tarefas do ex-craque ainda não estão definidas

Flavia Alemi, O Estado de S. Paulo

19 de fevereiro de 2013 | 16h07

SÃO PAULO - Aos 36 anos, aposentado do futebol e cuidando de uma agência de marketing esportivo, a 9ine, Ronaldo tomou uma decisão no mínimo chocante: vai virar estagiário. Mas não é qualquer estagiário. Vai ser estagiário em Londres. O ex-atacante da seleção brasileira e do Corinthians está se mudando para a Inglaterra para estudar Publicidade e Propaganda. De quebra, vai trabalhar no escalão mais baixo da WPP, uma das maiores agências de comunicação do mundo e parceira de sua empresa no Brasil.

Ainda não estão definidas quais serão as tarefas do pentacampeão mundial num dos escritórios da WPP de Londres, mas já é certo que Ronaldo receberá conselhos e orientações diretamente do presidente da empresa, Martin Sorrel. Os dois se conheceram pessoalmente em 2010, no Rio de Janeiro, durante uma conferência oferecida pela gigante do marketing. Ronaldo deverá desembarcar na capital inglesa no fim deste mês e imagina que sua estadia durará, pelo menos, um ano. Para não deixar de lado seus compromissos no Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, o ex-jogador vai voltar para o Brasil todo mês durante uma semana pelo menos.

O estagiário de luxo promete não dar descanso para Sorrel e quer absorver tudo o que o 'tutor' tem para lhe ensinar. “Eu não vou deixá-lo sozinho um só instante. Farei perguntas todos os dias”, disse Ronaldo. A história da 9ine e da WPP começou, oficialmente, em 2011, quando Sorrel e Ronaldo anunciaram uma parceria e criaram a agência do ex-jogador. Tendo o ídolo do futebol como chamariz, hoje a empresa trabalha com agenciados como Neymar, Anderson Silva, Bruno Rezende, do vôlei, e André Akkari, jogador de pôquer.

Tudo o que sabemos sobre:
Ronaldo9inefutebolmarketing esportivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.