Arquivo/AE
Arquivo/AE

Ronaldo vai ser a voz e a imagem da Copa de 2014

Ronaldo fará o meio de campo com todas as cidades-sedes, governos e Fifa: seu cargo será um dos mais importantes do evento

Luiz Antônio Prósperi e Robson Morelli, estadão.com.br

29 de novembro de 2011 | 12h32

SÃO PAULO - Ronaldo está prestes a anunciar sua participação no Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. O ex-jogador aceitou convite feito pelo presidente Ricardo Teixeira, que tenta convencê-lo a participar do evento desde agosto. Ronaldo será o homem-forte da organização, a voz e a imagem da Copa de 2014 junto a todas as cidades-sedes, governos e Fifa. Ele não será o presidente do Comitê Local, cujo cargo continua pertencendo a Ricardo Teixeira, da CBF.

A participação de Ronaldo no COL faz parte de uma série de mudanças proposta por Ricardo Teixeira ao futebol brasileiro, que começou nesta semana com a nomeação de Andrés Sanchez, do Corinthians, para o cargo de diretor de seleções da CBF.

Ronaldo vai desempenhar função idêntica à de Franz Beckenbauer na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Ele participará de tudo, como também seria a função de Henrique Meirelles, do Banco Central, no Comitê Organizador da Olimpíada de 2016, no Rio. A participação de Meirelles no COL ainda não está descartada, diga-se. 

Ronaldo consultou sua família antes de dar um 'sim' para Teixeira, com quem sempre teve boas relações desde os tempos de jogador. O presidente da CBF está em Zurique e só retorna ao Brasil quinta-feira, quando deverá, ao lado de Ronaldo, oficializar a participação do Fenômeno na organização da Copa do Mundo de 2014. O ex-jogador está em Brasília para tratar de assuntos com patrocinadores.

Desde que abandonou a carreira no Corinthians, Ronaldo tem se dedicado a ser um homem de negócios do futebol. Ele comanda a 9INE, uma agência de marketing e consultoria esportiva. Em sua nova empreitada, o ex-atacante terá de conviver com toda a pressão política que o cargo sofre. 

Também participará da discussão sobre temas mais polêmicos que envolvem a competição, como a meia-entrada e consumo de bebidas alcoolicas nos estádios. Sua opinião terá muito peso. Com Ronaldo, Ricardo Teixeira espera que o relacionamento do Comitê da Copa com a presidente Dilma Roussef melhore. 

Ronaldo havia dito semana passada que não sabia de nada sobre o assunto. "Não fui procurado e fiquei surpreso com essa especulação. Não sei de onde veio, de onde tiraram isso, mas seria uma honra. Até agora não tem nada, mas eu adoraria contribuir de alguma forma." Quinta-feira ele anunciará sua participação.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014RonaldoCBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.