Ronaldo vira assunto proibido na Inter

Ronaldo por enquanto é assunto vetado na Internazionale. O desconforto em torno da situação criada com o atacante ficou evidente nesta segunda-feira, antes da entrevista do técnico Héctor Cúper. A assessoria de imprensa do clube avisou aos repórteres que, em hipótese alguma, o treinador falaria a respeito do brasileiro, que não esconde de ninguém o desejo de ir embora. "Ele não nos interessa, no momento", foi a explicação dos responsáveis pelo setor de comunicações da Inter. "A atenção está voltada para o jogo com o Sporting, decisivo para as pretensões do time." Os italianos recebem os portugueses quarta-feira, no estádio San Siro, e precisam vencer para garantir vaga para a chave principal da Liga dos Campeões. Ronaldo estava inscrito para a competição, mas evidentemente não foi convocado nem para a concentração. Na verdade, não tem treinado, desde que retornou a Milão, na tarde de sábado. A previsão é de que retome os treinos quarta. O artilheiro do Mundial e seus colaboradores ainda buscam saída para o impasse. A Inter oficialmente fechou negociações com o Real Madrid, por considerar insuficiente a oferta de US$ 12 milhões mais o passe de dois jogadores. O clube espanhol garante que também desistiu da transação, por não concordar com o preço mínimo de US$ 50 milhões e por não entender como "prioridade" ter mais uma estrela dispendiosa em seu elenco. Nada disso convence Ronaldo, que aproveita as horas de descanso para monitorar estratégia para o futuro. Jornais da Itália e da Espanha afirmam que o acordo com o Real Madrid ainda pode sair, já que as inscrições terminam no sábado. Mas, para obter sucesso, os procuradores Alexandre Martins e Reinaldo Pitta estariam atrás de alternativas. Uma delas seria a de convencer outro clube europeu a entrar na corrida por Ronaldo. O preferido seria o Manchester United, único em condições de bancar transferência por preço alto. Porém, se a proposta inglesa não fosse interessante, a Inter poderia fazer um abatimento para o Real. Ou seja, depois de voltas, reviravoltas e cambalhotas, tudo acabaria em Madri, como é o desejo de Ronaldo. A Gazzetta dello Sport, de Milão, afirma até que o contrato entre o jogador e os espanhóis está redigido, pronto, com várias cópias à espera apenas de assinaturas. Só falta a concordância da Inter para o fim da novela. Ao mesmo tempo, continuam manifestações de torcedores da Inter contra Ronaldo. Representantes de organizadas dizem que o "melhor", agora, é o clube se desfazer do brasileiro, a quem chamam de ingrato.

Agencia Estado,

26 Agosto 2002 | 17h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.