Ian Kington/AFP
Ian Kington/AFP

Rooney pede fim da série de jogos durante período de festas

Atacante inglês do Manchester United critica maratona com poucos dias de descanso e alerta para risco elevado de lesões dos atletas

Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2014 | 12h45

A realização de rodadas do Campeonato Inglês durante o período de festividades de fim de ano são uma tradição, mas o atacante Wayne Rooney defendeu uma mudança no calendário. Para ele, a maratona de jogos - nesta temporada são três rodadas entre os dias 26 de dezembro e 1º de janeiro - afeta o nível técnico das equipes e não deveria mais acontecer. "Não é fácil jogar dois jogos em três dias. Você perde muito da qualidade de ambas as equipes", reclamou o atacante.

Rooney lembrou que a disputa de partidas em sequência e sem tempo para a recuperação adequada aumentam o risco dos jogadores se lesionarem. "No futuro, eu acho que (o calendário) tem de mudar, porque é difícil e ninguém quer ver os jogadores sofrendo lesões graves por causa disso. Isso é muito exigente e acho que precisa ser visto", afirmou. 

Para Rooney, a situação é ruim até mesmo para os torcedores que pretendem acompanhar os seus times nos estádios, especialmente em razão do frio desse período do ano na Inglaterra. 

"É difícil também para os torcedores viajarem durante o Natal, com o clima que tivemos ao longo dos últimos dias. Mas é assim. Nós temos que lidar com isso e temos que tentar lidar bem com isso. Como jogador, você quer jogar e tentar ajudar o time a vencer", acrescentou. 

Independentemente da reclamação de Rooney, o Manchester United prossegue com a sua maratona na próxima quinta-feira. Após derrotar o Newcastle por 3 a 1 na última sexta-feira e empatar por 0 a 0 com o Tottenham no domingo, o time vai encarar o Stoke City, fora de casa, em 1º de janeiro, pela 20ª rodada do Campeonato Inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.