Oli Scarff / AFP
Oli Scarff / AFP

Rooney perde habilitação e fará trabalho comunitário por dirigir embriagado

Atualmente no Everton, atacante pede desculpas ao clube e aos fãs

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2017 | 11h41

Um dia depois de ser goleado junto com o Everton pelo Manchester United em seu retorno ao Old Trafford como rival do clube onde fez história e se tornou ídolo, Wayne Rooney amargou outra decepção, mas agora fora de campo. Nesta segunda-feira, o atacante teve a sua habilitação de motorista cassada por dois anos ao assumir, durante audiência em tribunal inglês, que dirigiu um carro enquanto estava embriagado, no início deste mês. Naquela ocasião, ele chegou a ser detido pela polícia e só deixou a delegacia onde passou a noite sob custódia após pagar fiança.

Além da suspensão de sua carteira de motorista, Rooney foi condenado a cumprir 100 horas de trabalhos comunitários pela sua conduta ilegal ao volante no último dia 1º de setembro, quando guiava um veículo de uma outra pessoa.

Condenado na audiência realizada em um tribunal de Stockport, cidade que fica na região metropolitana de Manchester, o astro do futebol inglês estava dirigindo sob o efeito de uma quantidade de álcool três vezes acima do limite permitido pelas leis de trânsito na Inglaterra.

Após a punição que recebeu fora de campo, o jogador de 31 anos de idade também publicou um comunicado para se desculpar pela sua conduta neste episódio. "Depois da audiência de hoje no tribunal, eu quero publicamente me desculpar pela minha imperdoável falta de julgamento ao dirigir enquanto estava acima do limite legal (de ingestão de álcool). Isso foi completamente errado", reconheceu.

Em seguida, o jogador destacou que já pediu desculpas aos seus familiares, ao treinador e ao presidente do Everton, assim como a todos do clube. Para completar, enfatizou: "Agora eu quero me desculpar com todos os meus fãs e com todos os outros que me seguiram e me apoiaram ao longo de toda a minha carreira", disse.

O teste que Rooney foi obrigado a fazer após ser flagrado dirigindo embriagado, no qual ele sopra um aparelhinho que mede o seu nível álcool no sangue, apontou que ele continha 104 microgramas em 100 mililitros de respiração. O limite para se dirigir na Inglaterra e no País de Gales é de 35 microgramas por 100 mililitros.

A defesa de Rooney no julgamento desta segunda-feira pediu ao juiz distrital John Temperley que considerasse a possibilidade de não impor a ordem de trabalho comunitário ao jogador em sua sentença, alegando que o atacante já realiza um trabalho de caridade na Inglaterra. Entretanto, o magistrado disse que "não estava convicto" de que apenas impor uma multa (e não este tipo de punição) "teria o mesmo efeito" para mudança de conduta do atleta fora de campo.

Rooney, entretanto, se mostrou conformado após receber a decisão do juiz. "É claro que eu aceitei a sentença do tribunal", afirmou, para depois afirmar que poderá "compensar" parte do seu erro com a realização do trabalho comunitário.

No último domingo, Rooney nada conseguiu fazer para evitar a derrota por 4 a 0 do Everton para o Manchester United, no Old Trafford, em confronto válido pelo Campeonato Inglês. Foi o seu retorno ao tradicional estádio após 13 anos atuando pelo United.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.