Rooney poderia ter jogado melhor na Euro, diz Hodgson

O técnico da seleção inglesa, Roy Hodgson, afirmou nesta terça-feira que Wayne Rooney poderia ter jogado melhor na Eurocopa. O atacante ficou fora das duas primeiras partidas da fase de grupos em razão de uma suspensão, mas fez o gol do triunfo por 1 a 0 sobre a Ucrânia, que levou a Inglaterra a avançar em primeiro lugar na sua chave, escapando de um duelo precoce com a Espanha.

AE-AP, Agência Estado

26 de junho de 2012 | 12h21

Nas quartas de final, porém, apesar de ter convertido a sua cobrança na disputa de pênaltis, foi eliminado com a Inglaterra contra a Itália. Após a queda, a imprensa britânica criticou Rooney por não brilhar como no Manchester United e acusou o jogador de estar fora de forma, após passar férias em Las Vegas antes do torneio.

"Na primeira partida não deu sinais de estar fora de condições, e jogou os 120 minutos (contra a Itália)", disse Hodgson. "Acho que o que vocês querem dizer é que estão um pouco decepcionados com seu desempenho, e talvez poderia ter jogado melhor".

A seleção inglesa e Rooney chegaram para a disputa da Eurocopa sob pressão dos torcedores para interromper o jejum de títulos da equipe, que se arrasta desde 1966, quando venceu a sua única Copa do Mundo.

"Nas melhores seleções, há um, dois, talvez três jogadores que são reconhecidos por todos como figuras de nível mundial", disse Hodgson. "E quando você chega nos momentos cruciais, você espera que estes jogadores demonstrem seu talento, como Maradona, que ganhou uma Copa do Mundo para a Argentina".

Em vez disso, Rooney parece estar ganhando uma reputação de uma estrela que fracassa em momentos importantes. "É claro que eu acho que há muitas expectativas sobre ele", disse Hodgson. "Certamente tentou muito, mas não esteve no seu melhor. Eu acho que ele admitiria, e pode ser por várias razões".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolEurocopaInglaterraRooney

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.