Roque Júnior continua como capitão

Carlos Alberto Parreira anunciou neste sábado que Roque Júnior continua como capitão da Seleção no jogo deste domingo contra o México. Até aí nada demais. Engraçado foi a rusga entre o treinador e o jogador. Parreira pediu que cortasse o cabelo. Roque respondeu que não, sua mulher acha bonita a cabeleira espetada. E, se ela gosta..."O Roque foi um belo capitão contra a Grécia. Entenda bem, belo no sentido profissional e não pelos seus ?olhos azuis?. De belo, ele não tem nada. Aquele cabelo dele é muito ruim. É horrível. Já pedi para cortar", brincou o técnico do Brasil.A resposta de Roque foi um direto no fígado. "Quando o Parreira assumiu a Seleção em 2003, eu já usava este tipo de cabelo. Logo que voltou à Seleção, ele pediu para que eu cortasse o cabelo. Não cortei, gosto do jeito que está. Minha mulher gosta, minha mãe também. Se elas gostam, não vai ser o Parreira que vai me obrigar a cortar." Cabeleira espetada tem sido a marca registrada de Roque Júnior.Brincadeiras à parte, Parreira gosta do zagueiro. Considera como o líder do time e não dá bola aos que criticam o beque. Contra o México, hoje, recomendou ao capitão cuidado. ?Os mexicanos não jogam como os gregos que só lançaram a bola. Eles tocam mais, procuram as tabelas, colocam a bola no chão. Nossa zaga tem de ficar atenta para não ser envolvida. Confio no Lúcio e no Roque?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.