Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Rosenberg pede desculpas após comparar 'mulher com HIV' à Arena Corinthians

Após repercussão negativa, diretor de marketing afirma que comparação foi infeliz

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2019 | 15h36

O diretor de marketing do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, pediu desculpas após comparar as dificuldades para vender os naming rights da Arena Corinthians a uma "esposa perfeita com teste de HIV positivo".

“Errei, foi uma comparação infeliz, anacrônica e que não condiz com a minha prática à frente do clube sempre incentivando mais e mais a presença e participação feminina no futebol. Lamento profundamente por aqueles que de maneira direta ou indireta foram atingidos pela repercussão de uma analogia infeliz, feita durante um programa ao vivo de maneira espontânea e impensada. Sinto muito!", afirmou o dirigente em nota oficial divulgada nesta sexta-feira pelo Corinthians.

Rosenberg fez a comparação na quinta-feira, em entrevista à ESPN Brasil, utilizando uma metáfora para ilustrar as dificuldades na venda dos naming rights da Arena Corinthians. "O apelo da marca Corinthians é tão grande que temos quatro grandes grupos interessados em vir. É mais ou menos... Eles se sentem na situação de estar vendo a esposa perfeita, com dotes culinários, formada com MBA no exterior, uma mãe de filhos maravilhosos, mas parece que tem um teste de Aids (sic) positivo. Como é que eu encaixo a camisinha é o grande desafio", afirmou Rosenberg em entrevista à "ESPN Brasil", nesta quinta-feira.

O teste citado pelo dirigente identifica, na verdade, a presença do vírus HIV no corpo; Aids é a doença que pode se desenvolver a partir do vírus.

A declaração teve enorme repercussão negativa dentro e fora do clube. Paralelamente, Rosenberg vem enfrentando críticas internas no clube pelo lançamento da campanha de marketing que associa a paixão pelo clube a uma religião, o corinthianismo. Nesta quinta-feira, conselheiros enviaram uma carta ao presidente Andrés Sanchez protestando contra o diretor. Eles afirmam que o clube é ecumênico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.