Rosinei: de herói a moeda de troca

Kia Joorabchian é um negociante nato. Aproveitando a euforia da torcida corintiana, neste domingo, no Morumbi, com os dois gols de Rosinei, o iraniano tratou de aproveitar a chance: ofereceu o meia reserva para o CSKA e mais US$ 15 milhões para fechar de vez a contratação de Vágner Love. O representante do time russo, impressionado com a partida, gostou da proposta e vai encaminhá-la à diretoria. A resposta será dada na quarta-feira. E a proposta surge em boa hora para Rosinei. O jogador nunca se conformou com o tratamento diferenciado que existe no Corinthians entre os ?galácticos? e os garotos vindos da categoria de base. ?Infelizmente pesa muito essa história de estrela, de jogador ter sido contratado por um preço alto. Isso é no futebol brasileiro. Eu acredito que a estrela maior deveria ser o Corinthians, mas não é isso que acontece?, disse, com coragem, Rosinei. Ele sabe do que fala. Embora venha treinando muito melhor do que Carlos Alberto, o jogador contratado por cerca de R$ 33 milhões é titular absoluto do time. Só saiu domingo porque foi mal demais. A ponto de irritar Márcio Bittencourt. ?Eu entrei e fiz o que o Márcio me pediu. Ele percebeu que o Mascherano estava marcando bem demais e dando espaço para quem jogasse pela meia pudesse ficar mais perto da área. Foi o que eu procurei fazer. Fui feliz e fiz os dois gols. Mas só fiz o que o Márcio me falou. Nada além?, dizia Rosinei. Os repórteres estranhavam a frieza do jogador diante de toda a badalação pelos gols. ?Eu sei o que signfica para o Corinthians vencer o Palmeiras. Mas o que me importa é colocar em prática o que eu treino. Os gols e o meu desempenho em campo devem ser creditados ao trabalho. Nós trabalhamos muito no clube?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.