Rosinei é a atração do Corinthians

Pode parecer irônico, mas apesar do apelido de galáctico, o Corinthians terá Rosinei, um atleta formado no clube, como astro principal da partida desta quinta-feira, contra o Paysandu pelo Campeonato Brasileiro. O meia, que ganhou por critérios técnicos a disputa de posição com Carlos Alberto, vai atuar ao lado de Roger na partida que marcará a volta do time ao Pacaembu depois de praticamente dois meses de jogos fora de casa - por causa da disputa de clássicos e também devido aos dois jogos realizados com portões fechados, como punição pelos incidentes no confronto contra o São Paulo. Em sua primeira entrevista após a confirmação como titular, Rosinei se preocupou em dar um recado à animada torcida corinthiana, que fez filas nas bilheterias do Parque São Jorge e já comprou metade dos 35 mil ingressos colocados à venda para o jogo. "Só queria deixar bem claro que ultimamente estão me cobrando como atacante ?matador? - que tenho de fazer gols - e esse não é meu objetivo em campo. O que quero é ajudar a equipe e os companheiros da melhor forma possível e, se puder marcar, vou tentar aproveitar", explica o meia. Sobre Carlos Alberto, Rosinei mostra diplomacia. "Nem gostaria de comentar sobre a situação dele. Só procuro fazer o meu melhor porque sei que aqui no Corinthians ninguém tem vaga garantida." O meia classifica a situação como uma opção do treinador Márcio Bittencourt. Pacaembu - Rosinei comemorou o fato de a equipe voltar a jogar no Pacaembu. "Aqui a torcida cobra de maneira igual tanto o jogador juvenil quanto aquele que passou por muitos clubes. Acho que a diferença acontece quando um garoto é colocado para atuar no Pacaembu: ele é motivado pela galera e, com isso, tem mais tranqüilidade e facilidade para jogar." Para o volante Mascherano, a partida também será especial porque marcará sua estréia no estádio. "Acho que jogar no local onde o Corinthians costuma mandar suas partidas vai ser muito lindo", afirma o argentino. No entanto, a maior preocupação para ele é a equipe embalar no Brasileiro, que terá uma série de dois jogos por semana. "Espero que a gente consiga uma vitória e começe a subir posições no campeonato", diz o jogador, que prega o respeito ao Paysandu. "A partir de agora, todos os confrontos serão decisivos. Já não há mais tempo para diversão ou para não levar um jogo a sério." O volante diz que pretende ser cuidadoso nas faltas. Assim como outros seis jogadores do time - Edson, Wendell, Marcelo Mattos, Betão, Tevez e Sebá - Mascherano está pendurado com dois cartões amarelos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.