Roth aciona ?espião? Esquerdinha

O meia Esquerdinha é a arma do Santos para a partida deste domingo, às 16 horas, na Vila Belmiro, contra a equipe do São Caetano, pelo Torneio Rio-São Paulo. É a primeira vez que o jogador enfrenta o seu ex-time, no qual permaneceu por dois anos como um dos principais articuladores nas duas finais seguidas do Brasileiro.Nos últimos dois dias, Esquerdinha tem conversado muito com o técnico Celso Roth e com seus companheiros, a fim de passar informações sobre o adversário. "Sabemos da força do São Caetano, mas confio no Santos", declarou após o coletivo de sexta-feira, confiante em um resultado positivo do seu atual time, mesmo com o desfalque do centroavante Oséas, fora da partida em razão de uma subluxação na clavícula esquerda."O São Caetano tem um ritmo forte de jogo, partindo em bloco para cima do adversário", avisou, ao destacar a necessidade de o Santos impor marcação forte, sem dar espaços à equipe do ABC", disse. Aílton e Somália, de acordo com o meia, são dois jogadores perigosos, com os quais os santistas devem tomar muito cuidado.Se por um lado o Santos conta com Esquerdinha, por outro, o São Caetano terá dois laterais santistas: Russo e Rubens Cardoso, que também conhecem bem o adversário. Com o desfalque de Oséas, o treinador foi obrigado a efetuar mudanças no time e deve adotar o esquema 3-5-2, com três zagueiros, no lugar do 4-4-2, que vem utilizando com maior freqüência no Rio-São Paulo e na Copa do Brasil.Esquerdinha e Robert deverão atuar mais avançados, a fim de não deixar o atacante William isolado, à frente. "Não podemos nos descuidar da marcação, porque o São Caetano é um time que parte com tudo para cima do adversário", analisou Esquerdinha.

Agencia Estado,

16 de fevereiro de 2002 | 14h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.