Roth critica acomodação do Vasco e 'festeja' erros do goleiro do América-RN

O técnico Celso Roth festejou a classificação do Vasco para as oitavas de final da Copa do Brasil, assegurada com o triunfo por 3 a 2 sobre o América-RN, na Arena das Dunas, mas reclamou da acomodação da equipe, especialmente no início do segundo tempo, quando sofreu dois gols após abrir 2 a 0, admitindo que as falhas do goleiro adversário, Bussato, foram fundamentais para que o time não corresse grandes riscos de ser eliminado. Agora o treinador já volta o seu foco para o duelo com o Palmeiras, domingo, em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro.

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 09h41

"Não deixa de ser uma vitória importante. É sempre bom ganhar. Ganhamos lá e aqui. Conseguimos complicar o jogo no segundo tempo por erros nossos, infelizmente. Fizemos um belo primeiro tempo. No segundo, facilitamos e veio a infelicidade do goleiro do América-RN. Afrouxamos a marcação, mas é compreensível pela sequencia de jogos. Saímos classificados, com vitória melhor ainda, e já vamos pensando no Palmeiras", disse.

Roth explicou a decisão de optar por escalar o Vasco com três volantes - Anderson Salles, Serginho e Guiñazu - em Natal e acredita que a estratégia deu certo diante do América-RN, avaliando que ela pode se repetir nos próximos jogos.

"Usamos os três volantes, pois tenho dois que sabem jogar. O Serginho já jogou comigo assim no Atlético-MG. O segundo tempo dele foi muito bom, até com chance de gol. É uma questão de adaptação, tudo é momento no futebol. Fazemos as coisas de acordo com adversário. Em São Januário vencemos, mas fiquei até bravo que tomamos um gol lá, isso trouxe esperança para eles. Mas viemos aqui com determinação e fizemos um bom trabalho. Estamos bem, temos essa opção e vamos aproveitar quando pudermos e acharmos que deve, jogo a jogo", avaliou.

O triunfo sobre o América-RN foi o terceiro consecutivo do Vasco, que ainda luta para deixar a zona de rebaixamento do Brasileirão. Para Roth, o time tem potencial para ampliar a sua recuperação na temporada após um péssimo início no torneio nacional.

"Esses jogadores foram campeões cariocas. Isso não é qualquer coisa, é muito importante. Começamos a competição, talvez, um pouco empolgados e tivemos um início ruim. Para revertermos isso não é fácil. Eles tomaram consciência de que temos que mudar. A questão da sequência deve ser colocada claramente para os jogadores. Eles precisam saber que podem jogar sempre. Temos que manter esse perspectiva para o time sempre se manter ajustado. Vamos ver se a gente consegue isso", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilVascoCelso Roth

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.