Roth faz mistério contra Americano

O Santos se preparou para o jogo deste sábado como se fosse disputar a decisão de um campeonato. Celso Roth fez mistério, proibiu os jornalistas de acompanhar o treino, para esconder o esquema do técnico adversário e não confirmou a equipe. Tudo isso para enfrentar o América, às 16 horas, em Campos, um dos piores times do Rio-São Paulo. "Não podemos descuidar", disse o treinador, revelando que vai aguardar a definição dos médicos sobre o caso de Odvan, que sofre de uma inflamação entre os dedos do pé direito. O mais provável, porém, é que o zagueiro seja escalado. Nesta sexta-feira, a delegação viajou em vôo fretado, medida que visou encurtar o tempo da viagem e a evitar a exposição dos jogadores ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. A ordem que todos receberam foi a de só deixar o apartamento para as refeições e usar repelente de mosquitos. Celso Roth acha que houve um certo exagero nesses cuidados. "Nosso adversário é o Americano", lembrou. "A dengue é preocupante em todo o país e, se a situação em Campos estivesse como dizem, as autoridades não permitiriam a realização da partida". Seqüência - Mesmo sem confirmar o time, Celso Roth revelou que não pretende fazer alterações no esquema tático que vem adotando, o 3-5-2. "Se estamos conseguindo pontuar, é por causa desse sistema", disse. Mesmo com todos os problemas observados no setor defensivo na partida de quarta-feira contra o Internacional, pela Copa do Brasil, pretende manter a mesma equipe "para dar ao grupo uma seqüência de jogos e assim melhorar o entrosamento". O fato de o Santos ainda não ter ganho uma partida fora de casa nesta temporada, não preocupa Celso Roth. "Isso faz parte do futebol, assim como o índice de aproveitamento de 100% que estamos tendo na Vila Belmiro no Rio-São Paulo". Odvan concorda. "O primeiro objetivo é conquistar todos os pontos disputados em casa e depois, temos que buscar pontos na casa do adversário". O zagueiro já jogou a favor e contra o Americano. "O time merece respeito, mas temos que jogar pela vitória".

Agencia Estado,

01 Março 2002 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.