Roth já é chamado de burro na Vila

Era apenas um amistoso contra o São José, nesta quarta-feira à tarde na Vila Belmiro, para que o técnico Celso Roth pudesse avaliar melhor o elenco do Santos, mas ele já teve que ouvir o tradicional coro de "burro". Foi aos 20 minutos do segundo tempo, quando substituiu Léo por Rubens Cardoso, no empate por 0 a 0. Fora isso, deve ter ficado um pouco mais preocupado com o que tem pela frente: apesar de a diretoria estar contratando novos reforços, como Oséas e Esquerdinha, terá que estrear no Rio-São Paulo, domingo, contra o América-MG com este grupo de jogadores. E o time foi muito mal. Dominou todo o primeiro tempo, em que passou no ataque, mas exibiu a fragilidade que preocupa e fez com que a torcida vaiasse o time. Faltou conjunto, houve um número excessivo de passes errados e o ataque raramente preocupou o São José. O meio-de-campo, também instável, foi marcado pela expulsão do volante Marcelo Silva, depois de ter cometido duas faltas violentas. Se no primeiro tempo essa expulsão não pesou, na etapa final o São José voltou a campo com o objetivo de aproveitar a superioridade numérica. E acuou os santistas. Tanto que esteve perto da vitória, aos 33 minutos do segundo tempo, quando Fábio Costa defendeu pênalti cometido por Preto e cobrado por Luan. Celso Roth aproveitou para realizar todas as alterações possíveis, dando oportunidade a todos os jogadores. Até mesmo Odvan, recém-contratado e ainda fora de forma física, atuou nos últimos 25 minutos do amistoso, quando o time formou com três zagueiros.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2002 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.