Roth tem que montar quebra-cabeça

Um goleiro (Marcos) empolgado por ter sido convocado para a seleção brasileira, um meia talentoso (Alex) tentando disfarçar a frustração de ficar fora da lista e um técnico (Celso Roth) precisando deixar de fora do banco de reservas uma de suas opções de ataque por força do regulamento do Campeonato Paulista. Esse é o retrato do time do Palmeiras que entra em campo amanhã (21) em Mogi-Mirim, às 16 horas, para enfrentar o Mogi. Outro fato curioso é que, a duas rodadas do final da fase de classificação, o Palmeiras, com 18 pontos ganhos, tem remotas chances tanto de se classificar como de ser rebaixado à segunda divisão.Sem Basílio, Claudecir, Fernando (machucados), Daniel e Paulo Turra (suspensos), Roth tem problemas para definir a equipe, principalmente o ataque. A solução lógica, para não alterar radicalmente o esquema de jogo, seria escalar o colombiano Muñoz ao lado de Fábio Júnior. O problema é que, de acordo com o regulamento do campeonato, cada equipe pode relacionar para a partida e o banco de reservas um máximo de quatro jogadores cujos passes foram emprestados ao clube.Nessa situação, o Palmeiras tem Alex, Fábio Júnior, Felipe, Muñoz e Tuta. Os três primeiros são titulares. Caso escale Muñoz, Roth não poderá deixar Tuta, um jogador útil, sequer no banco de reservas. O técnico também costuma dizer que Fábio Júnior e Tuta, por suas características, não podem atuar juntos na equipe.Uma solução seria a escalação de Juninho no ataque, com Tuta na reserva e Muñoz fora do banco. ?Ele (Roth) é quem decide, mas essa é a oportunidade de provar que eu e o Fábio Júnior podemos jogar juntos?, pressiona Tuta.As chances de classificação são remotas, mas existem. O Palmeiras precisa golear Mogi, hoje, o União São João no próximo final de semana, e torcer contra uma improvável série de resultados. Se perder os dois jogos, e Matonense, Guarani e Internacional vencerem as duas partidas, o time ficará entre os últimos colocados, na zona de rebaixamento.De volta à seleção brasileira após oito meses de afastamento, o goleiro Marcos tem consciência da responsabilidade que aguarda o time na próxima quarta-feira, contra o Peru. ?Temos de respeitar o Peru como a qualquer adversário, mas jogando em casa, no Morumbi, não podemos deixar de ganhar os três pontos.?O meia Alex procurou não demonstrar frustração. Mas foi difícil. ?Eu coloquei na cabeça que não seria convocado?. Ele pode marcar hoje o 70º gol com a camisa do Palmeiras (tem 69). ?Eu nem sabia disso?, confessou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.