Rótulo de supertime preocupa Tite

O status de supertime que o Corinthians está ganhando com a chegada de Tevez, Carlos Alberto e cia. já começa a provocar algumas preocupações no elenco corintiano. O rótulo de time imbatível é uma carga pesada demais para um grupo ainda em formação - sem base, nem preparo físico e muito menos conjunto. Especialmente os jogadores com mais tempo de casa estão assustados e preocupados. Entre um intervalo e outro nos treinamentos em Porto Feliz, onde a equipe faz a pré-temporada, o que mais se ouve são alertas em relação à nova imagem do time. "Time imbatível não existe", reage o goleiro Fábio Costa. "Ganhar tudo é relativo. Você vai ganhar mas também vai perder. O que faz a diferença entre um grande time e uma boa equipe é saber administrar a derrota".Saber como enfrentar o primeiro revés é um detalhe que começou a ser trabalhado pelo técnico Tite já no primeiro dia de treinamento na pré-temporada. Ao mesmo tempo em que o treinador precisa organizar o esquema tático e a base do time, ele sabe que será preciso muito critério e cuidado para administrar o lado emocional do grupo. Outras grandes equipes já foram montadas, inclusive no próprio Corinthians, e não deram certo. Por isso mesmo, preparar os jogadores para enfrentar uma série de cobranças está entre as prioridades da Comissão Técnica.Outra questão bem clara na cabeça do técnico: em 2005, o Corinthians será o time a ser batido. Todos os adversários vão dar 110% de sua capacidade no confronto direto com a equipe que mais se esforçou na temporada. E todos sabem o quanto será importante saber administrar a primeira derrota, principalmente depois que as estrelas estiverem jogando, a partir da quinta partida do Campeonato Paulista, no dia 5 de fevereiro. "Este será um ano de muitas cobranças, por todos os reforços que estão chegando", alerta o capitão Ânderson. "Que o grupo se fortaleceu em relação ao ano passado, não há dúvidas. Mas isso também aumenta a responsabilidade. Estão encarando o Corinthians como um time imbatível. Não é bem assim. Não há times imbatíveis. Por isso mesmo, é preciso manter os pés no chão. Quando perder, temos de saber administrar a situação".Vaidades - Fora isso, as outras questões envolvendo vaidades e a enorme diferença salarial entre os jogadores não chegam a ser um grande problema. O próprio Ânderson, que negocia a reforma de seu contrato e está bem próximo de um acordo, lembra que o clube refez os contratos de quase todos os jogadores que foram lançados na equipe principal em 2004. "Além disso, em qualquer equipe, sempre há os jogadores que estão num patamar superior e ganham equivalente à esse status. Ninguém aqui vai ficar com ciúmes bobo porque todo mundo sabe: se o Corinthians for campeão, o grupo inteiro vai se valorizar. E a torcida pode acreditar: depois do sufoco que passamos no ano passado o que a gente mais quer é ser campeão".Óbvio que nas primeiras rodadas do Campeonato Paulista o time não terá todas as suas atrações. E isso já ficou bem claro no treinamento deste sábado, em Porto Feliz. Os jogadores foram divididos em dois grupos. Os que estão no grupo 1, não enfrentam o Mogi Mirim, quarta-feira, no Pacaembu. Entre eles estão Tevez, Sebastian Dominguez e Carlos Alberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.