Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Ruim nos pênaltis, Palmeiras redobra atenção para jogo com o Bahia

Equipe tem ido mal em fundamento que pode decidir classificação para a semifinal da Copa do Brasil

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2018 | 05h00

O Palmeiras está atento à possibilidade de pênaltis para o jogo desta quinta-feira, contra o Bahia, no Pacaembu, pela Copa do Brasil. Como agora o regulamento da competição não tem o gol marcado fora de casa como critério de desempate, a possibilidade de a vaga ser decidida nas cobranças diretas aumentou. O jogo de ida, em Salvador, acabou 0 a 0.

Essa probabilidade mexe com a equipe, pois o aproveitamento no fundamento tem sido ruim. Dos seis pênaltis cobrados no ano no tempo normal, os quatro últimos foram desperdiçados por quatro jogadores diferentes. Por isso, nos últimos dias a equipe buscou se aperfeiçoar no fundamento.

"O Palmeiras fez um bom jogo, conseguimos o 0 a 0. O Bahia é um time muito forte. Todos sabemos que vai ser difícil", disse o lateral Mayke. O time fez nesta terça-feira um treino fechado no Pacaembu como preparação para a partida de volta das quartas de final.

Se bater pênaltis tem sido difícil, defendê-los não é um grande problema. Os goleiros do Palmeiras são especialistas no quesito. Weverton garantiu o ouro olímpico para a seleção brasileira em 2016 ao defender uma cobrança, mas tem problema na virilha e pode não jogar. O possível substituto, Jailson, pegou dois chutes na semifinal do Paulista deste ano, contra o Santos.

A Copa do Brasil é tratada com atenção pelo Palmeiras. No último fim de semana o treinador poupou os principais jogadores no Campeonato Brasileiro para poder priorizar o mata-mata nacional. "Lógico que está mais próximo, Brasileiro tem muitas rodadas ainda, é um pouco mais difícil. O Felipão quer todos os campeonatos, e vamos correr atrás", disse Mayke.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.