Alexander Hassenstein/Reuters
Alexander Hassenstein/Reuters

Rummenigge espera por 'efeito dominó' para buscar grande reforço para o Bayern

Principais movimentações do clube bávaro até o momento foram Pavard e Lucas Hernández

Redação, Estadão Conteúdo

08 de julho de 2019 | 12h46

Presidente do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge afirmou nesta segunda-feira que não tem pressa para efetivar uma grande contratação para o heptacampeão alemão e disse que o clube espera por um "efeito dominó", provocado por uma grande contratação na Europa, para sair às compras.

"A janela de mercado está aberta até dois de setembro. Estamos prontos para buscar o que podemos chamar de jogador de ponta. Mas até agora não houve uma única grande transferência que poderia provocar um efeito dominó", disse o dirigente, na coletiva de apresentação do zagueiro e lateral-esquerdo francês Lucas Hernández, contratado junto ao Atlético de Madri por 80 milhões de euros (cerca de R$ 384 milhões). O mandatário aposta que o primeiro grande negócio da temporada pode sacudir o mercado.

O ex-atacante do time e astro da seleção alemã reforçou que o clube bávaro já fez diversas contratações às vésperas do fechamento da janela e já se saiu muito bem no passado com essa estratégia. Foi assim com o espanhol Xabi Alonso e com o holandês Arjen Robben, contratados "cinco minutos" antes do encerramento do mercado. "Estamos em oito de julho ainda. Sei que paciência não é o forte de torcedores ou do público em geral, mas não estou nem um pouco nervoso", lembrou, acrescentando que não faltará dinheiro para investimentos.

Mesmo soberano no Campeonato Alemão, o Bayern de Munique tem amargado más campanhas nas últimas edições de torneios continentais, tendo sido eliminado nas oitavas de final da última edição da Liga dos Campeões, diante do Liverpool. Entretanto, Rummenigge mostrou confiança na competitividade do elenco, que, segundo o diretor, começa a ser montado por uma defesa ainda mais sólida.

Apesar da saída de Mats Hummels, que foi para o Borussia Dortmund, a permanência de Niklas Süle, titular da seleção alemã, e as chegadas dos campeões mundiais pela França, Benjamin Pavard - contratado junto ao Stuttgart por 35 milhões de euros (cerca de R$ 150 milhões) - e Lucas Hernández, seriam, para o diretor, indicações importantes nesse sentido.

"Teremos um time bastante competitivo. Nossos objetivos não serão menores. Não pensem que não teremos uma equipe capaz de chegar ao octocampeonato alemão e fazer coisas grandes em outras competições", finalizou o ex-jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
Lucas HernándezBayern de Munique

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.