Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

Rummenigge mostra otimismo sobre a Copa do Mundo de 2022

Representante dos clubes europeus se reuniu com Joseph Blatter

Estadão Conteúdo

03 Março 2015 | 14h29

A tensão entre os clubes europeus e a Fifa foi amenizada nesta terça-feira aos reunião entre o presidente Joseph Blatter e o representante dos times, o alemão Karl-Heinz Rummenigge. Presidente da Associação dos Clubes Europeus e do Bayern de Munique, Rummenigge se mostrou otimista quanto a uma solução para o impasse entre as duas partes, em razão da nova data da Copa do Mundo de 2022.

Os atritos entre clubes e Fifa se intensificaram na semana passada quando a entidade máxima do futebol propôs oficialmente que a Copa do Catar seja disputada no inverno do hemisfério norte, entre os meses de novembro e dezembro. Os times europeus criticaram a proposta, que ainda precisa ser aprovada pelo Comitê Executivo da Fifa, por causa das alterações que causaria nos campeonatos nacionais e europeus, como a Liga dos Campeões.

Diante da crescente tensão entre clubes e Fifa, Blatter se reuniu com Rummenigge nesta terça, na tentativa de chegar a um acordo com os europeus. "Eu ainda estou confiante e otimista. Há possibilidades de encontrarmos uma solução série e justa", declarou o influente presidente do Bayern de Munique.

Diplomático, o dirigente tentou amenizar a polêmica com a Fifa, em especial o secretário-geral Jérôme Valcke, que negou o pedido de Rummenigge por uma compensação aos clubes em razão das futuras mudanças no calendário europeu. "Eu tenho uma opinião diferente [da dele] neste assunto", declarou Rummenigge.

O dirigente alemão e os demais líderes do futebol europeu pleiteavam a mudança na data da Copa para os meses de abril e maio. Na avaliação deles, a antecipação do Mundial causaria menos danos ao calendário do continente, que geralmente se encerra em maio.

Clubes e ligas europeias temem perder receitas com a mudança de calendário e ter de reestruturar seus torneios. Alguns chegam a propor que a candidatura do Catar seja revista, diante do fato de o contrato dado pela Fifa ao país falar exclusivamente em uma Mundial no meio de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.