Rússia dá garantias à Fifa que crise econômica não afetará a Copa de 2018

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse ter recebido nesta sexta-feira garantias do presidente da Rússia, Vladimir Putin, de que a crise financeira vivida pelos russos não afetará a preparação do país para receber a Copa do Mundo de 2018.

Estadão Conteúdo

16 de janeiro de 2015 | 17h33

Blatter afirmou estar "vigilante" com a situação econômica da Rússia depois que o rublo (moeda local) perdeu metade do seu valor, numa consequência da queda do preço de petróleo e das sanções internacionais aplicadas à Rússia por conta da crise com a Ucrânia,

Ainda de acordo com o dirigente suíço, no encontro desta sexta-feira Putin disse que a Rússia não tem qualquer intenção de pedir à Fifa para mudar o planejamento referente à Copa do Mundo. "Nós acreditamos que a Rússia vai encontrar uma solução", garantiu Blatter.

Com a previsão de uma recessão que reduziria o PIB da Rússia em 2,9% em 2015, a Fifa chegou a sugerir a retirada de uma das 11 cidades-sede, de forma a diminuir o custo do Mundial. Putin, porém, assegurou que tal medida não é necessária.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRússiaCopa do Mundo de 2018

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.