Rússia desiste de construir hotéis e reduz custo da Copa de 2018

'Não atenderemos aos luxos da Fifa que não serão usados depois'

Estadão Conteúdo

07 de abril de 2015 | 16h17

O orçamento da Rússia para a Copa do Mundo de 2018 foi reduzido em 4% após o país descartar os planos para construir hotéis de luxo que ficariam obsoletos após a realização do torneio. "Não queremos construir hotéis de luxo para atender às mais altas exigências da Fifa, e que não sejam utilizados após a Copa do Mundo", disse o ministro dos Esportes da Rússia, Vitaly Mutko.

A decisão vai ajudar a reduzir o custo total do torneio de 664 bilhões de rublos para 637,6 bilhões de rublos, afirmou, nesta terça-feira, o ministro. Mesmo assim, ele acrescentou, a Rússia vai cumprir com os requisitos da Fifa de contar com hotéis de luxo para funcionários da entidade e seleções.

"Considerando os requisitos mínimos dos organizadores, temos trabalhado com cada região para desenvolver programas de hospedagem para os grupos da Fifa e, assim, seremos mais eficazes com as despesas", afirmou, explicando que se desistiu de construir 25 hotéis, que estavam previstos para 11 cidades.

A economia da Rússia tem sofrido nos últimos meses com a queda no preço do petróleo, uma das principais fontes de receita do governo. A Copa de 2018 será realizada entre os dias 14 de junho e 15 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.