Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Rússia e Ucrânia podem ficar em grupos diferentes na Copa 2018

Segundo Blatter, objetivo é sempre evitar problemas e atual situação geopolítica reforça a necessidade de separar as seleções no torneio

DMITRIY ROGOVITSKIY, REUTERS

28 de outubro de 2014 | 16h39

Rússia e Ucrânia podem ser colocadas em grupos diferentes na Copa do Mundo de 2018 se os ucranianos se classificarem e as relações entre os dois países não melhorarem, disse a Fifa nesta terça-feira. No entanto, a entidade negou um comentário atribuído ao presidente da entidade, Joseph Blatter, que, segundo a agência R-Sport, afirmou: "pode ter certeza sobre isso", em resposta a uma pergunta sobre se os dois países ficariam separados.

"O presidente não disse que eles ficariam separados ou que uma decisão foi tomada. Parece (ter havido) um erro de tradução", disse a Fifa em comunicado à Reuters.

"O que o presidente da Fifa realmente disse foi que, em qualquer fase, o objetivo é sempre evitar problemas, como foi feito no passado entre as equipes em que as altas tensões podem ser antecipadas."

"Na situação Ucrânia/Rússia, ele disse que nós temos que ver como isso evolui, mas, se a situação geopolítica permanecer como está agora, quando se tratar da competição final, a Fifa poderia decidir que as respectivas seleções não fiquem no mesmo grupo", acrescentou.

Blatter, que estava em visita a Moscou para a inauguração do emblema oficial da Copa do Mundo da Rússia, disse que a política não deve se misturar com esporte, após apelos para que o torneio de 2018 seja transferido para um país diferente devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia.

"Um boicote nunca alcança nada e não tem efeito positivo. A Fifa está apoiando totalmente a Copa do Mundo na Rússia", disse o dirigente de 78 anos em entrevista para à ITAR-news e à R-Sport.

"Quando recebemos cartas da América do Norte, respondemos que isto é o futebol. Acreditamos no país (Rússia) e em seu governo. Os meios de comunicação devem nos ajudar com isso. Vimos essas coisas no passado nos Jogos Olímpicos de Sochi. No entanto, durante e depois dos Jogos (de Inverno) não houve uma palavra ruim escrita sobre o evento."

Sobre os preparativos russos, Blatter disse que estava satisfeito."Em comparação com os preparativos do Brasil para a Copa do Mundo de 2014, a Rússia está bem à frente deles com quatro anos de antecedência."

Ele disse ainda que a disputa pelo terceiro lugar será mantida na Copa do Mundo, apesar dos pedidos de seleções para aboli-la."Nós não iremos nos livrar dele. É muito importante. Se não houvesse o terceiro lugar, o chefe da Uefa, Michel Platini, não teria levado para casa uma medalha de bronze. Estes jogos são sempre bem disputados", declarou o suíço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.