Rússia entrega relatório sobre cidades candidatas a sediar Copa de 2018

O país entregou nesta quarta-feira um relatório técnico sobre as 13 cidades que desejam receber partidas

AE-AP, Agência Estado

26 de setembro de 2012 | 11h21

ZURIQUE - A Rússia entregou nesta quarta-feira para a Fifa um relatório técnico sobre as 13 cidades que desejam receber partidas da Copa do Mundo de 2018. Esse documento deve basear a escolha das cidades-sede da competição, que serão anunciadas no próximo sábado.

O ministro dos Esportes russo Vitaly Mutko e o presidente do Comitê Organizador Local, Alexei Sorokin, apresentaram o relatório pra Joseph Blatter, presidente da Fifa. O documento é resultado da visita de inspeção que aconteceram entre 12 de abril e 22 de junho deste ano.

O relatório avalia as possíveis cidades-sede de acordo com cinco critérios: infraestrutura atual, o nível de desenvolvimento socioeconômico, programas de investimento e planos para a Copa do Mundo de 2018, além do uso eficaz do legado do torneio."Hoje nós recebemos o relatório técnico final e este foi um momento emocionante. Estou ansioso para ir a Moscou no sábado, quando vamos juntos com o presidente do Comitê Organizador Local fazer o anúncio das sedes", disse Blatter.

Blatter e Mutko fazem parte do comitê executivo de 25 membros da Fifa que os estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo de 2018 em um reunião de dois dias que se inicia nesta quinta-feira. "Nós não temos nenhuma dúvida de que a decisão sobre as cidades-sede vai, acima de tudo, refletir os interesses dos fãs de futebol", opinou Sorokin.

Mutko disse neste mês que Kaliningrado, Rostov-on-Don, Saransk, Volgogrado e Yaroslavl "tiveram vários problemas" identificado durante as visitas de inspeção. As outras cidades são Moscou, que deve sediar jogos em dois estádios, Ecaterimburgo, Kazan, Krasnodar, Nizhny Novgorod, São Petersburgo, Samara e Sochi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.