Mladen Antonov/AFP
Mladen Antonov/AFP

Rússia mostra superioridade e goleia Arábia Saudita na abertura da Copa

Com festa da torcida no estádio Luzhniki, equipe anfitriã faz 5 a 0 no jogo inaugural do Mundial

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

14 Junho 2018 | 14h06

A Copa do Mundo começou com festa russa em Moscou. Nesta quinta-feira, no estádio Luzhniki, a Rússia fez o que a torcida esperava - pressionou a saída de bola da Arábia Saudita, foi rápida na transição para o ataque e transformou chances criadas em gols. Isso será fundamental na difícil missão da equipe no Grupo A do Mundial.

+ TEMPO REAL: RÚSSIA 5 X 0 ARÁBIA SAUDITA

+ Putin prega 'paz e entendimento mútuo' na abertura da Copa do Mundo

+ Tite define escalação da estreia do Brasil na Copa do Mundo da Rússia

+ Ativista gay é preso por manifestação contra Putin antes do jogo inicial da Copa

Em uma chave que ainda conta com Uruguai e Egito, que jogam nesta sexta em Ecaterimburgo, estrear com vitória era premissa fundamental para alimentar o sonho de tentar avançar para as oitavas de final do torneio.

Logos nos primeiros minutos, a seleção russa cumpriu à risca o que o técnico Stanislav Cherchesov havia pedido aos jogadores na véspera da estreia: dedicação e velocidade na transição para o ataque. Antes mesmo do primeiro gol, a equipe já tinha mais posse de bola e explorava principalmente os lados do campo.

Aos 11 minutos da primeira etapa, a pressão russa surtiu efeito. Após cobrança de escanteio, Golovin recebeu bom passe de Zhirkov na entrada da área pelo lado esquerdo do campo. Quase sem marcação, ele teve tempo de erguer a cabeça e cruzar na segunda trave. Gazinsky subiu mais que o zagueiro, que caiu deitado no gramado no lance, e cabeceou no canto direito, sem chance de defesa para o goleiro Abdullah Almuaiouf.

 

Aos 14 minutos, o lateral-direito brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes recebeu Dzagoev pelo lado direito tocou rasteiro para Smolov, que chutou para o gol, mas foi travado pela zaga. Com isso, a bola subiu e iria cair dentro do gol, mas o goleiro árabe conseguiu espalmar a bola - Mário Fernandes estava impedido no lance, mas o bandeira não paralisou o lance.

Os árabes não conseguiam criar nenhuma jogada de perigo e a Rússia continuava com facilidade para chegar ao ataque. Aos 22 minutos, o atacante Dzagoev, camisa nove da seleção russa, sentiu contusão na coxa esquerda e caiu no gramado. Ele precisou sair do jogo e em seu lugar entrou Cheryshev.

Depois de desperdiçar algumas boas chances, a Rússia chegou ao segundo gol no final do primeiro tempo. Em saída muito rápida pela direita, a defesa da Arábia ficou correndo atrás da bola e não conseguiu impedir que Zobnin carregasse a bola na entrada da área e tocasse para Cheryshev. O camisa seis, que havia entrado no lugar de Dzagoev, cortou dois marcadores com uma "levantadinha" na bola e bateu firme na saída do goleiro para marcar o segundo gol russo no estádio Lujnik, para  festa da torcida.

No segundo tempo, a Arábia Saudita ainda tentou incomodar um pouco o goleiro Akinfeev no começo, mas o último passe sempre saía com defeito. A Rússia, que voltou para segunda etapa até um pouco mais recuada, voltou as e lançar para a frente e as chances de gol para os donos da casa voltaram a surgir.

Em uma delas, aos 22 minutos, Golovin recebeu a bola pelo lado direito do ataque. De novo, como no primeiro gol, a marcação da defesa da Arábia Saudita ficou apenas olhando o russo, que levantou a cabeça e colocou na medida para Dzyuba, que havia acabado de entrar no lugar de Smolov, cabecear com estilo para marcar o terceiro gol da Rússia.

A partir daí, a Rússia passou a se preservar. Seus jogadores trocavam passes mais no meio-campo. A Arábia Saudita, de forma quase infantil, fazia uma marcação homem a homem no campo de ataque russo. O resultado disso é que os jogadores sauditas ficavam literalmente correndo atrás da bola, enquanto os russos trocavam passes de forma tranquila, apenas cadenciando o jogo.

A parte final da partida, com a temperatura já na casa dos 15 graus, mas com sensação térmica de 10 graus, estava apenas servindo para a torcida da Rússia fazer a festa com os jogadores eampliar o placar para 5 a 0, com dois gols nos descontos. Primeiro, Cheryshev mostrou que queria mais. Ele, que na primeira etapa havia marcado seu primeiro gol com a seleção russa, recebeu boa bola de Dzyba. Com espaço, marcou o seu segundo no jogo, o quarto dos donos da casa em um lindo chute de trivela, com o pé esquerdo, do bico da área, aos 46 minutos da segunda etapa.

Depois, aos 49, a defesa da Arábia Saudita fez uma falta boba na entrada da área. Alexander Golovin cobrou com categoria e marcou o quinto gol dos donos da casa.

 

No estádio, a celebração foi intensa e a promessa era de que a festa invadira a noite em Moscou. A Fan Fest na área da Universidade Estatal da cidade teve lotação máxima. O próximo jogo da Rússia será no dia 19, às 15h (horário de Brasília), contra o Egito em São Petersburgo. A Arábia Saudita encara o Uruguai no dia 20, às 12h (horário de Brasília), em Rostov-on-Don.

No fim, o resultado serviu para mostrar que os donos da casa vão lutar de forma intensa por uma das vagas nas oitavas de final da competição. Bom para a Copa do Mundo, que poderá ver o torcedor russo se animar e, por consequência, pegar gosto pela festa do futebol.

FICHA TÉCNICA

RÚSSIA 5 x 0 ARÁBIA SAUDITA

Rússia: Akinfeev; Mario Fernandes, Kutepov, Ignashevich e Zhirkov; Zobnin, Gazinsky, Samedov (Daler Kuzyaev) e Golovin; Dzagoev (Cheryshev) e Smolov (Artem Dzyuba). 

Técnico: Stanislav Cherchesov.

Arábia Saudita: Abdullah Almuaiouf; Alburayk, Hawsawi, Othman e Alshahrani; Otayf (Fahad Almuwallad), Alfaraj e Aljassam; Aldawsari, Alsahlawi (Muhannad Asiri) e Alshehri (Fahad Almuwallad).

Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Gols: Gazinsky, aos 12, e Cheryshev, aos 43 minutos do primeiro tempo. Dzyuba, aos 22, Cheryshev, aos 46, Golovin, aos 49 minutos do segundo tempo.

Juiz: Néstor Pitana (ARG).

Cartões amarelos: Golovin e  Aljassam

Público: 78.011 torcedores

Local: Estádio Lujnik, em Moscou (Rússia)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.