Marwan Naamani/AFP
Marwan Naamani/AFP

Rússia não paga salários atrasados de Capello e impasse segue

Federação continua em débito com técnico italiano, que tem contrato válido até a Copa de 2018, mas começa o ano com futuro incerto

Estadão Conteúdo

31 de dezembro de 2014 | 11h40

A União Russa de Futebol (RFU, na sigla em inglês) fracassou na sua tentativa de acertar o pagamento dos salários atrasados de Fabio Capello, técnico da seleção nacional, até o final deste ano. Capello não recebe seus salários, que seriam de US$ 11 milhões (aproximadamente R$ 29 milhões) desde junho em meio aos problemas financeiros da RFU.

O presidente da federação russa, Nikolai Tolstykh, disse na última segunda-feira que planejava resolver o problema até o final de 2014, mas afirmou à imprensa local nesta quarta-feira que se tornou impossível realizar os pagamentos nesse momento. 

Com a Rússia próxima de iniciar um período de quase duas semanas de feriados e dias de folga de trabalho, Tolstykh declarou que se tornou difícil encontrar fontes de financiamento para pagar a dívida com o treinador italiano. 

"O salário de Capello? Escrevam o que quiserem. Certamente esse não é um tema para o feriado de ano-novo. Vamos nos felicitar e no dia 12 voltaremos ao trabalho", declarou Tolstykh. 

Capello assumiu o comando da seleção russa em julho de 2012 e conseguiu classificar a equipe para a Copa do Mundo deste ano, em que a equipe acabou sendo eliminada na fase de grupos no Brasil. O seu contrato com a equipe vai até 2018, quando a Rússia vai sediar a próxima edição da Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.