Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Ruy Cabeção pede 'vergonha na cara' a jogadores e incita greve

Jogador do Operário-MT critica José Maria Marin e Marco Polo Del Nero após anúncio do calendário do futebol brasileiro para 2015

O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 13h30

O calendário do futebol para 2015, lançado pela CBF quarta-feira, já gera revolta e provoca polêmica. Por meio de seu Instagram, ferramenta de rede social, o veterano lateral Ruy Cabeção postou uma mensagem, com diversas fotos, em que exige mais democracia na CBF e condena a organização, mais uma vez, a organização do futebol brasileiro. Ruy pede para que os atletas do futebol do País tomem "vergonha na cara" e convoquem imediatamente greve geral nas quatro divisões do Campeonato Nacional.

Na mensagem, o lateral critica, sem citar nomes, o presidente da CBF, José Maria Marin, e também seu braço direito, Marco Polo Del Nero, que assumirá o comando da entidade em 2015. "Todos os jogadores de futebol que tenham vergonha na cara, das Séries A,B,C e D e os mais de 12.000 mil desempregados do futebol, deveriam primeiro fazer uma greve geral e depois pedir a saída desses dois senhores e muitos outros da CBF. Tanto o calendário do futebol de 2014 e o de 2015, feito por eles, foi uma f... para a nossa classe. Porque ele não atende em nada, principalmente os 95% dos atletas de futebol amador do Brasil. Porque de profissional, ele não tem nada, a começar desses fulanos que dizem cuidar do futebol brasileiro".

Além disso, o jogador, que atualmente atua pelo Operário-MT, pede para que os torcedores deixem de torcer pela seleção brasileira. "Sonho todos os dias com uma greve geral e agora sonho mais ainda. Deveríamos boicotar a seleção da CBF, porque a seleção brasileira é do povo e do País chamado Brasil e não desses dinossauros ditadores."

Ruy Cabeção é um dos principais nomes do Bom Senso F.C., movimento que surgiu no ano passado e que propõe à CBF um calendário menor para os clubes maiores e mais campeonatos para não deixar os times pequenos e, consequentemente, os jogadores, sem atuar durante parte do ano. Dentre as propostas, a organização cobra a criação de uma Série E e uma mudança do padrão dos campeonatos regionais para um formato parecido com a Copa do Mundo.

No calendário apresentado pela CBF do futebol para 2015, os clubes têm férias de 30 dias e uma período de preparação para a temporada de 25 dias, entre outras coisas. Uma das fotos postadas pelo jogador é a capa do livro O Lado Sujo do Futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.