S. Caetano inicia decisão da sua vida

Pode ser um pequeno passo para um futebol brasileiro pentacampeão mundial, mas será sem dúvida um grande passo para o São Caetano - um time que há cinco anos era integrante da terceira divisão de São Paulo ? derrotar o Olímpia, nesta quarta-feira, em Assunção, Paraguai, e ficar mais perto da conquista do seu primeiro título de expressão de sua história, a Taça Libertadores da América. O jogo, o primeiro da decisão, será às 21h40, no Estádio Defensores del Chaco, com transmissão da TV Globo. O São Caetano vive uma situação incomum: tem apenas 12 anos de existência, há dois integra a primeira divisão do futebol nacional onde jamais ganhou um título. Porém, depois de dois vice-campeonatos brasileiros (2000 e 2001) o grupo não vai entrar em campo apenas para fazer boa figura na disputa de um título continental contra um adversário que festeja seu centenário nesta quinta-feira. A equipe do ABC tem a responsabilidade de vencer o Olímpia ou, pelo menos, não perder em Assunção para manter boas chances de conquistar o título na partida de volta, quarta-feira, no Estádio do Pacaembu. ?Acho que chegou nosso momento de ganhar o título. Estamos a apenas dois passos?, tem repetido o técnico Jair Picerni desde a conquista da vaga na final. De fato, as condições do São Caetano não poderiam ser melhores para o jogo: o time terá a volta do lateral Russo, que estava suspenso no jogo contra o América, do México, e todos os outros atletas estão em condições físicas de atuar e altamente motivados. O treinador também ressalta que, depois de dois anos disputando competições nacionais e internacionais, o grupo amadureceu e está melhor preparado para o desafio. Segredo ? No último treino realizado no ABC, não havia qualquer sinal de tensão: o time disputou o ?rachão? com uma descontração e alegria que não denunciava que todos os atletas, sem exceção, estavam às vesperas da partida mais importante de suas carreiras. Nesta terça-feira, Picerni revelou um dos segredos da pelo menos aparente serenidade da equipe. ?A gente conversa mais sobre a gente do que sobre o adversário.? O técnico garante que não se trata de narcisismo. ?Por exemplo, se a gente vai enfrentar o São Paulo falando da história do clube e de todos os títulos que eles já conquistaram, os jogadores entram em campo já se sentindo por baixo?, explica. Conversar com os atletas sobre o trabalho, diz Picerni, tem sido um dos melhores meios de motivar o grupo e por isso pelo apenas 15% do tempo disponível para discussões é utilizado para falar da equipe adversária. Isso não quer dizer, no entanto, que o time não tenha se preparado para enfrentar o Olímpia. Jair Picerni ressaltou que o time paraguaio corre bastante em campo enquanto os jogadores ressaltaram a qualidade do futebol do meia Orteman, que deu trabalho ao time do Grêmio. Scolari ? O São Caetano terá um ?torcedor? brasileiro ilustre na partida contra o Olímpia. O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, estará no Estádio Defensores del Chaco para divulgar a bola que será usada nos próximos torneios da Conmebol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.