S. Caetano muda técnico para ?retomar rumo?

Sem querer, a mudança de técnicos do São Caetano correu paralelo a do Corinthians. Segundo o presidente do clube do ABC, Nairo Ferreira de Souza, às 13 horas da segunda-feira, ele e Tite se reuniram e decidiram pela rescisão do contrato. Até o final do dia, Tite era o candidato favorito para substituir Juninho, enquanto Nairo entrou em contato com Muricy Ramalho e fechou o acordo às 17 horas.No final do dia, Tite não acertou com o Corinthians ? seu prováveldestino é o futebol japonês ? e Muricy era anunciado como novotreinador do São Caetano. A apresentação da nova comissão técnica(acompanham o auxiliar Tata e o preparador físico Carlito Macedo) foiontem, no estádio Anacleto Campanella, pela manhã.O desafio de Muricy é tão difícil quanto a de Oswaldo de Oliveira,novo técnico do Corinthians. Apesar de liderar o Grupo 1, daLibertadores, com três pontos ganhos (vitória sobre o The Strongest, 4a 2), o São Caetano não está bem no Campeonato Paulista ? em seisjogos, uma vitória, quatro empates e uma derrota. A derrota para oMarília, domingo, foi a gota d?água para Tite. Para piorar, o próximoadversário é o Palmeiras, de Jair Picerni, sábado, no AnacletoCampanella.Nairo admitiu: ?Os resultados não estavam acontecendo e achamos queera a hora de fazer algo para acertarmos os rumos. Sentamos com o Titee entendemos que a troca de técnico era a melhor solução para todos.Foi um acerto bilateral, sem multas para nenhuma das partes. Tite saicomo um amigo.?A desilusão do dirigente se explica. O São Caetano fez contratações(trouxe, por exemplo, Ânderson Lima e Gilberto, do Grêmio) e aexpectativa era que, com o elenco reforçado, o time poderia conquistaro primeiro título da sua história. Mas o desempenho irregular noPaulista abreviou a estada de Tite no ABC.A saída do treinador gaúcho pegou os jogadores de surpresa. Gilbertoestava chateado: ?Meu crescimento como jogador foi sob o comando doTite. Ele é um ótimo profissional, mas essa é uma decisão que cabe àdiretoria.? Ânderson Lima concordou: ?Infelizmente, o técnico vive deresultados. Perdemos pontos importantes e agora sobrou para otécnico.?Na sua apresentação, nesta terça-feira, Muricy esbanjou otimismo. Falou o que os dirigentes queriam ouvir: ?Com o elenco que o São Caetano tem, vamos brigar pelos dois títulos (Paulista e Libertadores). Não será preciso priorizar uma ou outra competição.?Porém, para ?salvar? o Paulista, Muricy não pode pensar em outroresultado senão a vitória contra o Palmeiras. ?É bom começar o trabalhocom um teste difícil como esse?, disse o treinador, que não vai usar a?psicologia? para consertar a equipe até sábado. ?Sou um técnico decampo. Vamos trabalhar muito no campo. Menos conversa e mais trabalho?,receitou.Muricy acertou contrato até dezembro, com possibilidade de renovaçãopor mais um ano. O treinador confirmou que o interesse do São Caetanopor seu trabalho era antigo. Por isso o acerto foi rápido. ?É melhorassim, uma definição rápida. Eu pensava em voltar a trabalhar apenas noBrasileiro, mas como surgiu o convite, resolvi aceitar o desafio?,disse.O treinador volta ao futebol paulista depois de oito anos peregrinandopelo mundo. No ano passado, estava no Inter gaúcho, fez um bomBrasileiro, mas resolveu sair e ficar mais perto de sua família, quemora em São Paulo. ?Não sou mais um iniciante. Há momentos que otécnico tem de fazer suas opções. No Inter, montamos uma equipe paranão cair e chegamos bem mais longe do que imaginávamos?, lembrou.Em relação ao suposto interesse do Corinthians, Muricy fez uma análise bem simplista: ?Há poucos técnicos disponíveis no mercado e meuempresário é o filho do Rivellino. É natural que nesses momentos demudança de técnico, meu nome seja cogitado, mas nunca houve nenhumconvite oficial.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.