S. Caetano quer marca na Libertadores

Ao empatar com o América do México, por 1 a 1 na noite de terça-feira, o São Caetano ganhou a chance, mais uma vez, de fazer história. Depois de surpreender o Brasil ao chegar às finais da Copa João Havelange em 2000 com apenas 11 anos de existência, o time pode ser o mais jovem a conquistar a Taça Libertadores da América, antes de completar seu 13º aniversário.O São Caetano foi fundado no dia 4 de dezembro de 1989 pelo então prefeito da cidade do ABC, Luiz Tortorello, que contou com o apoio de um grupo de empresários da cidade. O objetivo era formar uma equipe para representar a cidade no futebol profissional. Não foi uma iniciativa isolada da Prefeitura, que também deu apoio à criação de equipes de vôlei, basquete e outros esportes.O primeiro ano do São Caetano foi animador, com a conquista da terceira divisão do Campeonato Paulista de 1990 mas nos anos seguintes o time estagnou. A virada começou a partir da parceria do clube com a Datha Representações em 1997. Na ocasião, a empresa começou a colocar em prática um projeto para que a equipe disputasse os principais campeonatos do Brasil até o ano 2000.Em 1997 os resultados não apareceram: o time não passou do quadrangular do Campeonato Paulista. Mas no ano seguinte, o São Caetano foi campeão da Série A3 do Campeonato Paulista e ganhou a chance de disputar a Série A2, em 1999. Na Série C do Campeonato Brasileiro o time perdeu a final para o Avaí, mas a vaga para a Série B no ano seguinte estava assegurada.Já em 1999 o time passou por uma temporada sem títulos apesar de ter feito boa campanha tanto na Série A2 do Campeonato Paulista quanto na Série B do Brasileiro. No ano seguinte, com Jair Picerni no comando, o time foi campeão da Série A2 do Paulista. No segundo semestre, beneficiado pelo regulamento da Copa João Havelange, o time saiu da segunda divisão direto para a disputa das oitavas-de-final da primeira. Surpreendendo a todos os time chegou à final contra o Vasco, O time carioca foi campeão, mas o Azulão ganhou o direito de disputar a Libertadores pela primeira vez.No ano passado, o time, que tem como marca registrada o futebol solidário e a ausência de grandes astros, ficou entre os oito melhores do Paulista e no Brasileiro voltou à disputar a decisão do título. O time perdeu para o Atlético-PR, mas assegurou o direito de disputar novamente a competição sul-americana neste ano.Comandado por Jair Picerni, no entanto, não é o time mais novo a chegar à uma decisão da competição. O Cobreloa, do Chile, chegou à disputa do título da Libertadores com apenas quatro anos de existência, em 1991, mas na ocasião perdeu a final para o Flamengo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.