Rafael Ribeiro/Vasco
Rafael Ribeiro/Vasco

Sá Pinto remodela Vasco para reencontrar vitórias e abrir vantagem sobre Caracas

Treinador português deve promover mudanças na equipe para confronto contra time venezuelano

Redação, Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2020 | 08h22

O técnico Ricardo Sá Pinto "apresentará" o seu Vasco nesta quarta-feira, a partir das 21h30, em São Januário, pela Copa Sul-Americana. Diante do Caracas, o time carioca entrará em campo com mudanças de peças e de esquema para acabar com o jejum de nove partidas sem vitórias. De quebra, buscará abrir boa vantagem para o jogo de volta, daqui sete dias.

Pressionar adversário e manter a posse de bola são os pedidos do treinador português aos jogadores. Ele quer o Vasco em cima na hora de marcar, para roubar rápido a bola, e sufocando quando estiver atacando. Mas sem desespero ou pressa. Quer jogadas trabalhadas e eficiência.

O novo Vasco será no 4-4-2 e não mais no 4-3-3. Com defesa e meio-campo com novidades. Cayo Tenório segue na lateral-direita, mas em breve dará lugar ao recém-chegado Léo Matos. Yago Pikachu parece ter perdido espaço de vez. O companheiro de Castán na defesa será Marcelo Alves. Sá Pinto gosta de zaga alta. E Borges Neto ganhou a vaga na esquerda.

Contratado para organizar o meio, Léo Gil inicia entre os titulares. O experiente jogador entrou no segundo tempo diante do Corinthians e o Vasco melhorou muito. Além de marcar forte, o volante é bom nas bolas paradas. Carlinhos jogaria mais solto.

"Todos estão aptos para esse processo novo, com a ideia de jogo que eu quero para o Vasco", afirmou o comandante vascaíno. "A Sul-Americana é uma competição importante, nosso principal foco agora e vamos dar o máximo nela."

Depois de esperar mais de 10 horas para ser autorizado a entrar no Brasil, o Caracas chegou ao Rio com a missão de somar ao menos um empate para levar a decisão "indefinida" para casa.

Apenas o terceiro colocado no Grupo H da Libertadores, os venezuelanos sabem que precisam melhorar, sobretudo jogando fora de casa. A eliminação veio com um tropeço de 3 a 0 na casa do Boca Juniors, que acabou custando caro. Com a surra, ficou com um gol a menos de saldo que o Libertad. O técnico Noel Sanvicente será mais precavido no Rio, povoando o meio-campo e usando apenas Blanco na frente. O empate é considerado um grande resultado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoCopa Sul-americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.