Montagem/Estadão
Montagem/Estadão

Saiba o que esperar dos confrontos das quartas de final da Copa América

'Estado' mostra como as seleções podem passar de fase na principal competição continental

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2019 | 11h00

As quartas de final da Copa América começam nesta quinta-feira com o duelo entre Brasil e Paraguai, na Arena do Grêmio, e as oito seleções que permanecem na competição sabem que o momento não permite mais erros e a luta pelo título promete ser intensa. 

O Estado fez um levantamento destacando os confrontos para mostrar como e em que as seleções podem apostar para avançar de fase. A equipe de Esportes também analisou as quatro partidas. Dos oito classificados, a Venezuela é a única seleção que nunca venceu a competição. O Uruguai é o maior campeão, com 15 títulos, seguido pela Argentina (14), Brasil (8), Paraguai, Chile e Peru (2) e Colômbia (1).

BRASIL X PARAGUAI, quinta-feira, às 21h30, na Arena do Grêmio (Porto Alegre)

Pontos fortes do Brasil

A boa fase de Everton e Arthur impulsionam o Brasil na Copa América. O atacante e o volante crescem a cada jogo e isso faz com que o restante do time também evolua taticamente e tecnicamente. Equipe também mostra boa evolução na criação de jogadas e chegada ao ataque. 

Pontos fracos do Brasil

Os laterais do Brasil gostam de chegar bastante ao ataque, principalmente Daniel Alves, pelo lado direito. Isso faz com que o time deixe espaços na defesa, que não chegaram a serem tão explorados, muito em razão da fragilidade dos adversários do Brasil na primeira fase (Bolívia, Venezuela e Peru). 

Pontos fortes do Paraguai

A equipe paraguaia aposta nos lançamentos e na bola longa, em busca de uma referência no ataque, que pode ser Cardozo ou Santander. O time também se destaca pela forte marcação e retranca e conta com jogadores conhecidos dos brasileiros na defesa, casos do goleiro Gatito Fernandez (do Botafogo), Gustavo Gómez (do Palmeiras) e Iván Piris (ex-São Paulo), além de Balbuena (ex-Corinthians), que fica no banco de reservas.

Pontos fracos do Paraguai

A seleção paraguaia tem muita dificuldade em sair tocando a bola, pelo chão, esperando o erro do adversário. Como insiste muito nos lançamentos, acaba finalizando pouco ao gol e isso faz com que as oportunidades de balançar as redes sejam reduzidas. 

VENEZUELA x ARGENTINA, sexta-feira, às 16h, no Maracanã (Rio de Janeiro)

Pontos fortes da Venezuela

A Venezuela surpreendeu pela sua organização tática nos primeiros três jogos da Copa América. Diante da seleção brasileira, por exemplo, os venezuelanos se fecharam em um 4-1-4-1 e ficaram com o empate sem gols. A equipe adota uma postura mais defensiva e aposta bastante no toque de bola para tentar achar um espaço na defesa adversária. 

Pontos fracos da Venezuela

A seleção venezuelana evoluiu bastante nos últimos anos, mas ainda apresenta algumas falhas principalmente do meio para frente. A equipe consegue ter a bola no pé, mas o craque do time, o atacante Rondon, acaba sendo sobrecarregado pelo fato do time não ter bons finalizadores. Logo, se um adversário conseguir marcar bem o jogador que pertence ao West Bromwich, da Inglaterra, já tem meio caminho andado para a vitória.

Pontos fortes da Argentina

A tradicional seleção argentina tem como ponto forte a individualidade de alguns jogadores acima da média, como o próprio Messi e Aguero, que fez grande temporada pelo Manchester City. A já conhecida raça de seus atletas também é algo que pode fazer a diferença.

Pontos fracos da Argentina

A defesa é o setor que mais preocupa, pois o time não conta com grandes jogadores na posição. A juventude do técnico Lionel Scaloni também é bastante questionada, já que ele estreou como treinador justamente no comando da seleção. As constantes mudanças na equipe e no posicionamento de alguns atletas fazem com o que o time sofra com a falta de entrosamento. 

COLÔMBIA X CHILE, sexta-feira, às 20h, na Arena Corinthians (São Paulo)

Pontos fortes da Colômbia

A seleção da Colômbia chama a atenção pelas boas opções do meio para frente. Comandados pelo meia James Rodríguez, a equipe se destaca pelo bom toque de bola e movimentação no ataque. A equipe teve a melhor campanha na primeira fase da Copa América e chega como uma das favoritas ao título.

Pontos fracos da Colômbia

Embora não tenha sofrido gols, a defesa colombiana é o ponto fraco do time. O técnico português Carlos Queiroz gosta de um estilo de jogo mais defensivo, mas ainda não conseguiu fazer com que isso se tornasse o ponto principal da equipe. 

Pontos fortes do Chile

O Chile é uma das seleções mais entrosadas do continente, já que a base do time é mantida há quase uma década mesmo tendo trocas de técnicos neste período. A equipe conta com bom toque de bola e variação de jogadas, mas precisa voltar a mostrar sua força, já que surpreendeu negativamente ao ficar fora da última Copa do Mundo. 

Pontos fracos do Chile

Justamente por ter um time que joga junto há tanto tempo, a equipe acaba sendo um pouco mais envelhecida que as demais e isso pesa fisicamente em alguns momentos. No ataque, a equipe sente a falta de um grande nome para ser o "homem-gol" e isso faz com que o time não seja de marcar muitos gols. 

URUGUAI X PERU, sábado, às 16h, na Fonte Nova (Salvador)

Pontos fortes do Uruguai

É uma das seleções com o ataque mais forte da Copa América. O quarteto formado por Nández, Lodeiro, Suárez e Cavani mostra entrosamento e leva perigo aos adversários. A equipe comandada pelo experiente Óscar Tabárez também chama a atenção pela raça demonstrada em campo. 

Pontos fracos do Uruguai

Embora tenha um ataque muito forte, o Uruguai tem dificuldades quando precisa apostar na técnica e na habilidade de sua seleção. A equipe uruguaia sofre quando enfrenta um adversário recuado, justamente por não ter tanta técnica entre seus meias. Arrascaeta, do Flamengo, é um dos poucos atletas que mostram habilidade, mas ele não é titular absoluto.

Pontos fortes do Peru

O Peru tem em Guerrero seu principal nome e esperança de conseguir surpreender e chegar ainda mais longe na Copa América. Farfán também chama a atenção e se destaca pela experiência. A equipe peruana joga na defesa e aposta nos contra-ataques e lançamentos para Guerrero, principalmente em jogadas que saem dos pés de Cueva, do Santos. 

Pontos fracos do Peru

A defesa é frágil e o goleiro Gallese não transmite confiança. O lateral Trauco não é seguro na marcação e esses pontos fazem com que o time seja excessivamente cauteloso para atacar, justamente para evitar os buracos na defesa. Isso ficou evidentemente na goleada sofrida.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.