Jorge Adorno / Reuters
Jorge Adorno / Reuters

Saiba quais são as possíveis finais entre times do mesmo país na Libertadores

Grêmio e Boca Juniors podem enfrentar compatriotas na decisão

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2018 | 11h00

Depois de 12 anos, a Libertadores pode voltar a ter uma final entre times do mesmo país. Uma final brasileira pode acontecer caso o Grêmio avance e Palmeiras e Cruzeiro se classifiquem. Da mesma forma, uma decisão com dois times argentinos é possível. O Boca Juniors pode fazer um clássico com o River Plate na decisão, por exemplo. Também pode enfrentar Independiente ou Atlético Tucumán.

O Grêmio venceu o Atlético Tucumán por 2 a 0 e encaminhou bem a vaga na semifinal da Copa Libertadores. Em lado oposto da chave ao dos outros dois brasileiros que ainda jogam a competição, o time gaúcho pode enfrentar Palmeiras ou Cruzeiro na grande decisão. O Palmeiras derrotou o Colo-Colo por 2 a 0 e também está perto da vaga na semi, enquanto o Cruzeiro terá que reverter a vantagem de gols do Boca Juniors para continuar no torneio.

Situação semelhante à do Grêmio vive o Boca Juniors, também em lado oposto ao dos outros argentinos. Na grande decisão, o time azul e dourado pode enfrentar o Atlético Tucumán, ou ainda Independiente ou seu arquirrival, o River Plate, que disputam uma das quartas de final. No primeiro jogo, os times empataram em 0 a 0, na casa do Independiente

A Libertadores proibiu finais entre times do mesmo país durante a maior parte de sua história. Apenas em 2005 e 2006, a Conmebol terminou com a regra, retomando-a na sequência e voltando a suprimi-la em 2017. No regulamento da competição em 2018, está prevista a possibilidade de finais 'caseiras', sem que cruzamentos entre clubes compatriotas fossem forçados antes da decisão.

Devido à proibição, apenas duas finais entre equipes do mesmo país foram realizadas, ambas entre brasileiros. Em 2005, o São Paulo se tornou tricampeão após vencer o Atlético-PR. No ano seguinte, o tricolor paulista chegou à decisão novamente, mas foi derrotado pelo Internacional, que se sagrou campeão da América pela primeira vez.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.