Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Saída de Jadson obriga Tite a mudar o Corinthians de novo

Treinador terá de recriar taticamente a equipe com jogadores de características diferentes em relação ao meia, que vai para a China

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 07h00

A iminente saída de Jadson para o  Jiangsu Sainty, da China, vai obrigar Tite a mudar o Corinthians justamente quando a equipe começa a encorpar para a sequência da temporada. A transferência do meia deve ser sacramentada nesta terça-feira. Os chineses pagarão 5 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) e o Corinthians ficará com R$ 4,8 milhões, correspondentes a 30% dos direitos econômicos. Os 70% restantes são do meia e dos seus empresários.

Sem o principal armador da equipe, o treinador mexe na estrutura da equipe. O time perde velocidade e qualidade nas jogadas de bola parada. Como Guerrero terá de cumprir suspensão contra o San Lorenzo, dia 4, pela segunda rodada da Libertadores, e Danilo deverá exercer a função de centroavante, Petros é o mais cotado para ficar com a vaga de Danilo. Com a mudança, o time ganha poder de marcação e Elias passa a ter mais liberdade para atacar.


Quando Guerrero ficar livre da suspensão imposta pela Conmebol por causa da expulsão contra o Once Caldas, é provável que Danilo seja o escolhido para o lugar de Jadson. Com o meia, o time perde velocidade, mas ganha qualidade no passe. Há, ainda, a possibilidade de Tite escalar mais um atacante pelas beiradas do campo e as chances de Vágner Love crescem.

A saída de Jadson é a segunda mudança forçada que Tite tem de fazer na equipe. O treinador ensaiou durante toda a pré-temporada o time com Lodeiro e viu o uruguaio ser vendido para o Boca Juniors três dias antes da estreia na pré-Libertadores. Desde o primeiro treino coletivo do ano, durante a pré-temporada nos Estados Unidos, Tite vinha escalando Lodeiro entre os titulares. Ao lado de Renato Augusto, o uruguaio foi escolhido para fazer a ligação entre a defesa e o ataque. Lodeiro também era orientado a jogar pelas beiradas do campo para, assim, abrir espaço para as infiltrações de Elias pelo meio.

Antes que os atletas ganhassem entrosamento, Jadson entrou no time. O meia tem um estilo diferente de jogo em relação a Lodeiro e atua mais centralizado. Agora, Tite terá de encontrar uma outra maneira de fazer a equipe jogar.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.