Saída de jogadores preocupa a Lusa

O clássico contra o Corinthians, domingo, no Pacaembu, é apenas uma das preocupações no Canindé. Enquanto o técnico Giba luta para manter os jogadores concentrados na missão de livrar a Portuguesa do rebaixamento, as especulações em torno da saída de atletas já chamam a atenção da diretoria do clube.Washington no Palmeiras? Rai no Santos? Silas no São Paulo? São apenas os três casos mais citados. Há outros.Washington, que marcou dois gols no São Paulo, jura que não foi procurado. "É tudo especulação. Tenho de continuar focado na Portuguesa. Ainda não escapamos do rebaixamento. Só depois eu vou definir o meu futuro", avisa o jogador, que tem contrato até dia 20 de maio. "Quem cuida dos meus direitos sou eu. Se alguém estiver interessado mesmo, tem de vir falar comigo."Seis gols no Paulistão transformaram Washington em um dos destaques do campeonato. A brilhante atuação na vitória (2 a 1) sobre o São Paulo contribuíram - e muito - para que o assédio aumentasse. Menos de 24 horas depois, já o colocavam como reforço do Palmeiras para o Brasileirão. "A gente sempre sonha em algo mais na carreira. Mesmo que seja aqui ou em outro clube. No Rio, no Americano de Campos, eu não tinha a mesma visibilidade que tenho jogando aqui", explicou.Outro cotado para sair é o volante Rai, de 20 anos. No caso, o destino dele pode ser a Vila Belmiro. "Fiquei sabendo através dos meus amigos, mas ainda não aconteceu nenhum contato do Santos. É tudo boato. Mas já anima, é sinal que estão de olho em mim. Vou querer arrebentar ainda mais", discursou.Silas nem é titular. Aos 19 anos, o meia interessa ao São Paulo para a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior, no início de 2006.Antes de ser crucificado, o diretor de futebol Fernando Gomes garante que a Portuguesa está pronta para repor as peças para a Série B do Campeonato Brasileiro. "Não estamos a pé. No começo do ano, não tínhamos nem time. Se eu soubesse que o Washington faria todo esse sucesso, faria um contrato de dois anos e não de três meses, né! Estou com a consciência tranqüila. Não errei em nenhuma contratação", afirmou.

Agencia Estado,

08 de abril de 2005 | 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.