Saída de Luxemburgo foi comemorada

A decisão unânime da diretoria do Real Madrid de demitir o técnico Vanderlei Luxemburgo provocou comemorações no vestiário do Real Madrid. Segundo a imprensa espanhola, "há jogadores festejando porque a divisão era clara: o clã dos brasileiros de um lado, o resto do outro". Com a saída de toda a comissão técnica, o comentário que mais se ouve no clube nesta segunda-feira é o do começo do fim da era brasileira no Real Madrid. Atualmente, jogam no clube espanhol Ronaldo, Roberto Carlos, Júlio Baptista e Robinho.O editor da seção Real Madrid do jornal esportivo Marca, José Félix Díez, preferiu não dar nomes de atletas, mas disse que o ponto mais evidente desse racha foi a polêmica das comemorações dos gols. A cada celebração, os brasileiros corriam para um lado com as coreografias ensaiadas, chegando até a afastar algum companheiro de time na hora dos abraços."A divisão era clara. O melhor exemplo foi a besteira da comemoração da barata (jogadores imitando baratas, deitados de bruços, mexendo pernas e braços). Eu tenho certeza de que há jogadores no vestiário celebrando agora essa demissão", disse Díez na Rádio Marca.O zagueiro espanhol Ivan Helguera foi o primeiro a reconhecer o mal-estar do elenco por essa divisão, confirmando que o vestiário estava incômodo com a "panelinha" dos brasileiros. "Não parece que jogam em equipe. Isso de comemorar gols só entre eles é uma falta de respeito ao time porque, quando um marca um gol, o gol é do Real Madrid, é do time todo. O clã prejudica o time", disse o zagueiro.A favor de Luxemburgo - O atacante Ronaldo, inventor das coreografias, defendeu o técnico brasileiro, afirmando que "falta paciência no Real Madrid", e acusou a torcida espanhola de reclamar mais do que ajudar o time. "Os torcedores têm que compreender e apoiar, em lugar de ir ao estádio a cada domingo para se queixar. Nós jogamos para ganhar, não para perder ou ficar de brincadeira!", disse o jogador.As especulações no clube agora são sobre a situação de Ronaldo e Roberto Carlos. O Real Madrid está interessado no atacante Adriano, da Inter de Milão, e Roberto Carlos pode ter o contrato rescindido no próximo dia 30 de junho, segundo fontes no clube, porque está insatisfeito.Com a saída de Luxemburgo, caiu toda a comissão técnica brasileira: os auxiliares Paulo Campos e Marco Teixeira, o preparador físico Antonio Melo e a nutricionista Patricia Teixeira. Ele é o quinto treinador demitido do Real Madrid em dois anos. Só para a atual temporada, o clube gastou 87 milhões de euros, cerca de R$ 250 milhões.Os possíveis substitutos mais cotados para o lugar de Luxemburgo são o francês Didier Deschamps, do Monaco, o italiano Fabio Capello, da Juventus, e os espanhóis Javier Irureta e Victor Fernandez, atualmente desempregados.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2005 | 16h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.