Saída de Robinho volta a ser cogitada

A diretoria do Santos está se preparando para resistir ao assédio dos clubes europeus por Robinho, que será intensificado os próximos dias. Depois de fazer uma de suas melhores partidas na vitória por 3 a 1 sobre a LDU, ele começou a repetir as frases de sempre: "espero ficar aqui por muito tempo dessa forma que joguei e quero continuar melhorando a cada dia."Robinho sempre evita falar em sua saída da Vila Belmiro, mas já comenta sua permanência no condicional. "Se eu tiver que sair, acho que não terei problema de adaptação no clube que me contratar". Ele não sabe se uma saída agora pode prejudicar seu sonho de continuar sendo chamado para a Seleção. "Meu momento é muito bom no Santos, espero continuar sendo convocado e, se tiver se sair, vou pensar nisso mais para frente."O atacante admite que sonha também em jogar na Europa, "como qualquer jogador", e que espera realiza-lo algum dia. Mas não para qualquer equipe: "se tiver de sair, que seja para um time tão bom quanto o Santos, para que possa disputar títulos lá fora". Admite também que existem propostas para levá-lo a Europa, e também muita especulação. "Fico feliz em saber que tem time interessado em meu futebol, mas não estou muito preocupado com isso. Quem cuida disso é meu procurador e pelo meu pai".Apesar dos elogios que recebeu pela atuação no jogo contra a LDU, Robinho não estava satisfeito. "Tenho de melhorar a cada dia", disse ele, lamentando a perda de dois gols: "driblei o alemão (Espínola) e perdi um de esquerda, no primeiro tempo perdi um de cabeça. Por isso, não estou satisfeito com minha atuação. Gostei da vitória, mas tenho de continuar melhorando".O técnico Gallo sabe que vai ser difícil manter Robinho em seu time, mas revelou que o presidente Marcelo Teixeira já disse que pretende ver Robinho jogando na Vila Belmiro. "Queremos continuar contando com ele por muito tempo. Sei que é difícil, mas o presidente vai tentar mantê-lo pelo menos por mais um ano".

Agencia Estado,

07 de abril de 2005 | 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.