Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Salário alto é entrave para volta do atacante Nilmar, diz Gobbi

Além de tentar contratar mais um homem de frente, o Corinthians procura um novo zagueiro para suprir a saída de Cleber

Vítor Marques, Estadão Conteúdo

24 de agosto de 2014 | 15h45

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, confirmou que o clube tem interesse em contratar o atacante Nilmar. Mas descartou pagar um supersalário ao jogador que estava no futebol do Catar. Segundo o dirigente, o salário é o principal entrave na negociação.

"O Nilmar atinge uma faixa de salário que o futebol brasileiro não comporta mais, esse é o entrave. Nem comecei uma conversa, mas sei que vou esbarrar neste problema. Não dá para pagar salários astronômicos", disse o Gobbi em entrevista à rádio Jovem Pan.

O dirigente não revelou a pedida salarial do jogador. No clube, porém, dirigentes garantem que Nilmar não custaria menos que R$ 600 mil por mês. Internamente, o Corinthians estipulou que o novo teto salarial do clube é de R$ 350 mil.

Além de tentar contratar mais um atacante, o Corinthians procura um zagueiro para suprir a saída de Cleber, negociado com o futebol alemão. As opções de Mano Menezes para o setor são Gil e Anderson Martins, a dupla titular da zaga, Felipe e o garoto Pedro Henrique.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthiansMário GobbiNilmar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.