Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Salário em dólar e foco no atual time dificultam acerto com Lugano

São Paulo enfrenta concorrência do Cerro Porteño pelo jogador

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2015 | 07h00

O zagueiro Diego Lugano está precavido sobre a possível volta para o São Paulo. O uruguaio de 35 anos tem gostado de jogar no Cerro Porteño, do Paraguai, e deixou no ar nesta quarta-feira em entrevista em Assunção a possibilidade de renovar com o atual clube e disputar a próxima edição da Copa Libertadores.

"Quero ser campeão com o Cerro e jogar a Libertadores. O futebol dá muitas voltas, quem disse que não posso ficar mais cinco anos no Cerro?", disse o zagueiro em entrevista coletiva. A diretoria do São Paulo avalia o nome do defensor como possível reforço para 2016 e segundo o empresário do atleta, Juan Figer, há um mês e meio houve uma reunião para discutir a transferência.

Mais do que o Cerro Porteño, a situação do São Paulo também pesa contra. Lugano se preocupa em arranhar a imagem de ídolo conquistada pela passagem vitoriosa, como campeão da Libertadores e do Mundial em 2005, e pode não encontrar no clube do Morumbi as condições que procura. O uruguaio viria para se tornar um líder do time, já que Rogério Ceni vai se aposentar e Luis Fabiano deve sair. Além disso, a parte financeira é um entrave.

"Lugano é ídolo do Cerro, tem um contrato interessante, em dólares, o que é um problema para arrumar um contrato similar no Brasil. Não é tão seguro que algo vá se concretizar", explicou Figer. Para a próxima temporada o São Paulo quer estipular um teto salarial de R$ 300 mil, limite que atrapalharia a vinda. O contrato de Lugano com o Cerro vai até julho do ano que vem. "O Cerro Porteño tem a opção de igualar qualquer proposta que chegar".

Procurado pelo Estado, o vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, disse que a nova diretoria ainda não definiu a procura por reforços e apenas em dezembro, ao fim do Campeonato Brasileiro, os dirigentes vão decidir quem serão os alvos de contratação para 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.