José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Salvador terá protesto antes da disputa do 3º lugar da Copa das Confederações

Integrantes do Movimento Passe Livre da cidade se concentração às 9h, na praça do Campo Grande

VITOR VILAR - Seleção Universitária, Agência Estado

29 de junho de 2013 | 20h12

SALVADOR - A capital baiana terá mais um protesto antes de uma partida pela Copa das Confederações, neste domingo, 30, quando Uruguai e Itália se enfrentam na Fonte Nova, às 13h, pela disputa do terceiro lugar do torneio. Integrantes do Movimento Passe Livre de Salvador realizaram uma reunião na tarde do sábado e decidiram que o protesto terá concentração às 9h, na praça do Campo Grande. De lá, caminharão em direção ao acesso sul da Fonte Nova, pela região conhecida como Vale dos Barris. A ideia é que os manifestantes cheguem ao entorno do estádio horas antes do início da partida.

Segundo o estudante Marcos Botelho, um dos manifestantes que participaram da reunião, a ideia é aproveitar a visibilidade da penúltima partida do torneio para chamar a atenção das autoridades à lista de reivindicações do movimento. Ele garante que os participantes já sabem que haverá bloqueio policial no entorno do estádio, mas pretendem dialogar para que alguns representantes possam entrar no perímetro de segurança.

Na última quarta-feira, o Passe Livre de Salvador divulgou uma carta aberta colocando suas reivindicações. São 21 exigências, a maioria cobrando melhorias no transporte público da capital baiana, entre elas a adoção do passe livre para estudantes; a ativação das linhas de metrô; a integração entre as diversas modalidades de transporte e uma auditoria para investigar as contas das empresas de ônibus e os gastos públicos na obra do metrô da cidade.

Este será o terceiro protesto antes de uma partida pela Copa das Confederações na capital baiana. No primeiro jogo, entre Uruguai e Nigéria, no dia 20, houve confronto entre policiais e manifestantes em dois pontos de acesso à Fonte Nova. No dia 22, data da partida entre Brasil e Itália, um grupo menor de manifestantes tentou se aproximar do estádio pelo acesso sul, mas também foi dispersado pela Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.