Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Sampaoli envia carta de agradecimento ao Santos: 'Uma das minhas casas mais lindas'

Técnico ainda não definiu futuro e também vive dilema sobre rescisão contratual com o clube alvinegro

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2019 | 18h10

No dia seguinte ao Santos confirmar sua saída, o técnico Jorge Sampaoli escreveu uma carta de agradecimento ao clube da Vila Belmiro. Ele declarou amor ao time alvinegro, também fez elogios à cidade onde viveu em 2019 e evitou entrar em detalhes sobre o que o motivou a deixar a equipe. 

"O Santos foi uma das minhas casas mais lindas. Um lugar que me permitiu voltar a crer nos sonhos, no jogo e na alegria dentro do futebol. Todas estas coisas sinto que são, para mim, uma enorme conquista porque a exigência e o imediatismo deste esporte nem sempre nos permite ser felizes. Em um mundo que nos trata como objetos, me senti humano e isso foi um privilégio maravilhoso. Sinto que é um momento na história no qual desfrutar o presente não é simples. Prefiro não arranhá-lo. O próximo ano será muito difícil para o Santos. Jogará o Paulista, o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores."

O Palmeiras tem Sampaoli como primeira opção e já iniciou negociações com o treinador. O treinador não quis entrar em detalhes sobre os motivos que o levaram a deixar o Santos. "Penso, com chance de me equivocar, que algumas circunstâncias estruturais não me permitiriam sentir com comodidade", afirmou. 

A saída dele, no entanto, ainda não está completamente resolvida. Apesar de o clube ter publicado nota oficial com a informação de que o argentino pediu para deixar o cargo na segunda-feira, a versão é contestada por ele. O treinador garante não ser obrigado a pagar 2,5 milhões de euros (R$ 11,4 milhões) como multa por ter rescindido antes do prazo previsto em contrato.

Quando o Santos contratou Sampaoli, uma cláusula do acordo previa que o argentino teria de ressarcir o clube caso deixasse o cargo antes de 10 de dezembro deste ano. Segundo o Santos, o treinador pediu demissão na segunda-feira, dia 9. Porém, no entender do argentino, o desligamento ainda não foi realizado de forma oficial porque não houve a assinatura de documentos.

A carta deixou de lado essas questões. Sampaoli aproveitou também para elogiar a cidade de Santos. "É um lugar maravilhoso. Trataram-nos como se estivéssemos vivido toda a vida aqui. Ficará para sempre, também, que aqui nasceu meu terceiro filho, León. Talvez, isso seja simplesmente um até logo e a vida nos permita um reencontro. As despedidas são essas dores doces. Muito obrigado, de coração. Eu os levarei na alma, para sempre." comentou.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA CARTA:

O Santos foi uma das minhas casas mais lindas.

Um lugar que me permitiu voltar a crer nos sonhos, no jogo e na alegria dentro do futebol. Todas estas coisas sinto que são, para mim, uma enorme conquista porque a exigência e o imediatismo deste esporte nem sempre nos permite ser felizes. Em um mundo que nos trata como objetos, me senti humano e isso foi um privilégio maravilhoso. Sinto que é um momento na história no qual desfrutar o presente não é simples. 

Prefiro não arranhá-lo. O próximo ano será muito difícil para o Santos. Jogará o Paulista, o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores. Penso, com chance de me equivocar, que algumas circunstâncias estruturais não

me permitiriam sentir com comodidade.

Quero agradecer aos jogadores. Em um torneio com um calendário esgotante, mostraram uma fidelidade à ideia impressionante. Nunca renunciaram às convicções pelo jogo e foram a qualquer estádio do Brasil para mostrar quem

somos e quanto amor sentimos pela bola.

Quero agradecer aos trabalhadores e às trabalhadoras do CT Rei Pelé. São a alma do clube. Aqueles que em silêncio constroem e defendem uma instituição gloriosa.

Quero agradecer aos meninos do CT. Foram meus amigos mais legais e os levarei na minha memória para sempre.

Porém, sobretudo, quero agradecer à cidade. Santos é um lugar maravilhoso. Trataram-nos como se estivéssemos vivido toda a vida aqui. Ficará para sempre, também, que aqui nasceu meu terceiro filho, León.

Talvez, isso seja simplesmente um até logo e a vida nos permita um reencontro. As despedidas são essas dores doces.

Muito obrigado, de coração. Eu os levarei na alma, para sempre,

Jorge Sampaoli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.