Sampaoli ‘prende’ jogadores e impõe disciplina rígida

Métodos do treinador são aprovados pela Federação Chilena

Vítor Marques - Enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2014 | 05h00

Jorge Sampaoli enclausurou os atletas do Chile na Toca da Raposa II, centro de treinamento do Cruzeiro, na Pampulha, a vários quilômetros da agitação de Savassi, point de turistas estrangeiros em BH. Nenhum jogador ganhou sequer um dia de folga desde que começou a preparação para o Mundial, em maio. Na Toca, a rotina dos treinos é rigorosa. Praticamente todos os dias, os atletas treinam pela manhã e à tarde.

As atividades começam pontualmente às 9 horas, exceto no dia seguinte a jogos, como ontem. Depois da vitória épica conta Espanha no Maracanã, quarta-feira, os jogadores retornaram a Belo Horizonte e chegaram à Toca às 23h. Doze horas depois, às 11h, já treinavam. A metodologia já foi utilizada por Marcelo Bielsa, que dirigiu a seleção na Copa de 2010.

Sampaoli, argentino como Bielsa, é admirador do trabalho do antecessor. Às vezes, até mais rigoroso. A imprensa chilena publicou uma lista de regras que ele impôs na concentração. Havia proibido, por exemplo, o consumo de refrigerantes e vetou que as mulheres dos jogadores entrassem nos quartos. A federação chilena aprova os métodos de Sampaoli.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.