Daniel Beloumou Olomo / AFP
Daniel Beloumou Olomo / AFP

Samuel Eto'o é eleito presidente e assume comando da Federação Camaronesa de Futebol

Ex- atacante de Barcelona e Inter de Milão inicia carreira na política do esporte, vence eleição e promete acabar com a corrupção na entidade

Redação, Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2021 | 19h47

Um dos maiores jogadores de todos os tempos da África, Samuel Eto'o  foi eleito presidente da Federação Camaronesa de Futebol.  Na disputa da eleição, que aconteceu neste sábado, ele obteve 43  votos de membros da Assembleia Geral da Fecafoot. Seidou Mbombo Njoya, atual mandatário e que também ocupa a vice-presidencia da da Confederação Africana de Futebol, somou 31 votos. 

No seu currículo de jogador, Eto'o  brilhou no Barcelona e na Inter de Milão e foi eleito quatro vezes o melhor jogador de futebol da África e fez dupla de sucesso no Barcelona quanto atuou ao lado de Ronaldinho Gaúcho.

Essa nova inserção na carreira política havia sido anunciada a há pouco mais de três meses, quando o ex-jogador fez severas críticas à atual administração da entidade. Aos 40 anos, ele vai assumir uma federação marcada por disputas internas, má administração e ainda suspeitas de corrupção.

O clima de tensão já obrigou a Fifa a interceder em algumas situações para tentar dar fim às brigas entre os dirigentes. "Vou  me lembrar de hoje como um dos dias mais importantes da minha vida. Sou profundamente grato por ser eleito o novo presidente da Fecafoot", afirmou o ex-atleta.

Na campanha para conseguir chegar à presidência,  Eto'o contou com o apoio  de muitos ex-companheiros de equipe. Entre as suas proposta, a principal delas é livrar o futebol de Camarões  da Corrupção. 

O primeiro desafio que o ex-artilheiro vai ter pela frente acontece já no mês que vem, quando Camarões vai  sediar  a Copa Africana das Nações. A disputa acontece entre os dias 9 de janeiro e vai até 7 de fevereiro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.