San Lorenzo e Nacional-PAR buscam título inédito da Libertadores

Times de Argentina e Paraguai, que nunca ganharam a competição sul-americana, jogam a grande final do torneio em Buenos Aires

O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 09h18

Torneio mais tradicional da América Latina, a Copa Libertadores conhecerá o, nesta quarta-feira, o 25º time a conquistar o torneio em seus 54 anos de existência. A partir das 21h15, mais de 42 mil pessoas irão ver San Lorenzo e Nacional-PAR fazer a grande final da edição de 2014 em busca o título inédito para ambas as equipes, no Estádio Nuevo Gasômetro em Buenos Aires.

Na primeira partida, no Estádio Defensores Del Chaco, em Asunción, a partida terminou empatada em 1 a 1, após o San Lorenzo abrir o placar com gol de Mauro Matos e aos 48 minutos da segunda etapa, o atacante Julio Santa Cruz empatar o jogo para os paraguaios. Caso ocorra nova igualdade no placar, independente do número de gols, o jogo será decidido nas cobranças de pênaltis.

Único time grande da Argentina que ainda não conquistou a Libertadores, o San Lorenzo irá jogar a grande final em casa desfalcado de um de seus principais jogadores. Vendido ao Montreal Impact, o meia Ignacio Piatti não recebeu autorização para jogar a última partida do torneio e está fora do jogo. Em seu lugar, o técnico Edgardo Bauza deve colocar o atacante Martín Cauteruccio, para fazer companhia a Matos.

Apesar da perda de um de seus protagonistas, Bauza terá a volta de seu principal zagueiro a defesa da equipe argentina. Fora do primeiro jogo por lesão, o experiente Mauro Cetto deve voltar na vaga ocupada por Fabrício Fontanini e começar entre os titulares na partida desta noite.

Já no Nacional, o lateral direito Ramón Coronel é desfalque certo. O defensor, que já havia atuado no sacrifício na semana passada, não se recuperou e pode ser substituído por Fabián Balbuena ou Juan Argüello. Por outro lado, o técnico Gustavo Morínigo terá a volta do meia Marcos Riveros, que não jogou contra o San Lorenzo na última quarta por conta de suspensão.

Sem ter um clube na decisão após nove anos consecutivos, o Brasil será representado na final pelo trio de arbitragem. Sandro Meira Ricci será auxiliado por Emerson de Carvalho e Marcelo Van Gasse, que também atuaram ao lado do juiz na Copa do Mundo de 2014.

FICHA TÉCNICA

SAN LORENZO-ARG X NACIONAL-PAR

San Lorenzo: Sebastián Torrico, Julio Buffarini, Mauro Cetto, Santiago Gentiletti e Emmanuel Más; Héctor Villalba, Juan Mercier, Néstor Ortigoza e Leandro Romagnoli; Martín Cauteruccio e Mauro Matos. Técnico: Edgardo Bauza

Nacional-PAR: Ignacio Don, Juan Argüello (Fabián Balbuena), Raúl Piris, José Cáceres e David Mendoza; Marscos Melgarejo, Marcos Riveros, Silvio Torales e Derlis Orué; Julián Benítez e Freddy Bareiro. Técnico: Gustavo Morínigo

Árbitro: Sandro Meira Ricci (Brasil)

Local: Estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires (Argentina)

Horário: 21h15 (de Brasília) 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.